Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Um Gaspacho Alentejano… com carabineiro

por Raul Lufinha, em 04.09.19

Chefe de Sala Ana Filipa FerreiraChefe de Sala Ana Filipa Ferreira

 

Chefe de Sala Ana Filipa FerreiraO criativo “Carabineiro do Mediterrâneo”, um prato que será finalizado na mesa


O “Carabineiro do Mediterrâneo” de João Oliveira traz-nos logo à memória o “Carabineiro do Algarve” de João Rodrigues no FEITORIA.

Com efeito, em ambos, o lombo do carabineiro é servido no prato, num ponto perfeito.

E depois, também em ambos, as cabeças, que tinham sido previamente grelhadas na cozinha, são a seguir, num momento cénico de grande impacto visual, esmagadas na mesa, à frente do cliente – no VISTA, num almofariz; no FEITORIA, recorrendo a uma prensa – de modo a obter o molho que irá acompanhar o respetivo lombo.

Porém, há uma enorme diferença entre o minimalista “Carabineiro do Algarve” de João Rodrigues e o criativo “Carabineiro do Mediterrâneo” de João Oliveira!

É que, na verdade, este carabineiro de João Oliveira não é… um “prato de carabineiro”!

Não!

Neste prato, o que João Oliveira verdadeiramente faz é antes um Gaspacho Alentejano!

Ou seja, aquela sopa fria com pequenos pedaços picados de tomate, pepino, pimento, alho… e pão!

E que, nesta original versão do VISTA, João Oliveira depois enriquece com carabineiro!

Com carabineiro e em dois momentos distintos – com o lombo, no prato; e o com o suco das cabeças grelhadas, no suavemente avinagrado caldo.

Sendo que o lombo vem fatiado em quatro pedaços – um para cada garfada – tendo cada um desses pedaços, no topo, o seu próprio gel: um de laranja, outro de pepino, outro de pimento assado e outro, ainda, de maionese de alho negro.

Isto é, diversamente do que sucede com o carabineiro de João Rodrigues, não estamos aqui verdadeiramente perante um “prato de carabineiro”, ao contrário aliás do que o nome do prato de João Oliveira e o próprio empratamento do VISTA sugerem, mas antes perante um estimulante Gaspacho Alentejano… enriquecido com carabineiro!

Não é carabineiro ao qual se junta Gaspacho!

Não é carabineiro com Gaspacho!

Não!

É Gaspacho (Alentejano) com carabineiro!

O que faz toda a diferença!

Mas mais – em bom rigor, o surpreendente Gaspacho Alentejano de João Oliveira… não é enriquecido só com carabineiro!

Para além dos croûtons de pão alentejano, no topo há também “talharim” de lulas!

E, ao lado, há ainda uma maravilhosa meia-esfera de tomate verde com pepino… recheada com um intenso tártaro de ostra da Ria de Alvor e gamba rosa!

Ou seja, estamos perante um prato absolutamente extraordinário!

Muito rico e complexo!

Que o Chef tem vindo a trabalhar e a desenvolver há já vários anos!

E que ganharia ainda mais se João Oliveira lhe mudasse o nome para algo como “Gaspacho Alentejano”.

Percebe-se a apelativa lógica de dar aos pratos o nome do principal ingrediente. Ou do ingrediente mais nobre.

Mas neste caso, de facto, o nome “Carabineiro do Mediterrâneo” acaba por não mostrar tudo aquilo que este prato verdadeiramente é!

 

VISTA

VISTA

VISTA

VISTA

VISTA

VISTA

VISTA

VISTA

Carabineiro do Mediterrâneo | ostra | pepino | gamba rosa


(continua)

 

Fotografias: Marta Felino e Raul Lufinha

 

Ver também:

  • VISTA, Mesa do Chef, agosto 2019:
  1. Na Mesa… do Chef João Oliveira
  2. Surpresas iniciais
  3. Um Gaspacho Alentejano… com carabineiro
  4. Lagostim, um clássico do Chef
  5. Duas raias para a Mesa do Chef
  6. A manteiga leva-nos para o pinhal
  7. Entretanto passa o Chefe Pasteleiro
  8. O renovado Leitão Bísaro de João Oliveira
  9. A carne é forte
  10. Laranjas do Algarve
  11. Sem espinhas, uma enorme sobremesa de chocolate
  12. Visita guiada à nova garrafeira
  13. Chef, quantas estrelas merece o VISTA?

 

 

 


VISTA
Hotel Bela Vista, Av. Tomás Cabreira, Praia da Rocha, Portimão, Algarve, Portugal
Chef João Oliveira

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:25


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Últimos comentários



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




subscrever feeds