Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Tejo. À descoberta de vinhos diferentes

por Raul Lufinha, em 13.07.20

Escanção Rodolfo Tristão

Escanção Rodolfo Tristão

Luís de Castro, presidente de direção da Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVR Tejo), foi o anfitrião de uma apresentação e prova de vinhos do Tejo subordinada ao tema “Pequenos Produtores, Grandes Descobertas”.

A sessão decorreu no Instituto da Vinha e do Vinho, em Lisboa.

E a prova comentada foi conduzida pelo escanção Rodolfo Tristão, consultor da CVR Tejo.

No total, foram apresentados nove vinhos.

Todos eles, é certo, vinhos de pequenos produtores.

Mas, acima de tudo, todos eles vinhos diferentes!

Todos eles vinhos que – por uma razão ou por outra – saem do padrão habitual da região.

E, desde logo por isso, merecem ser descobertos.

E conhecidos!

Tejo

À descoberta dos vinhos do Tejo

Começando pelos brancos, o primeiro vinho foi o Herdade dos Templários, da recente vindima de 2019.

Um lote de Arinto e Fernão Pires, em partes iguais, com a surpresa de também ter... 20% de Riesling!

Sendo um branco, porém, que, embora saboroso, explora o lado tropical desta variedade típica de climas mais frescos.

E também, diga-se, a vertente tropical da casta Fernão Pires.

De qualquer forma, para os apreciadores do estilo, vale bem mais do que o PVP recomendado.

Herdade dos Templários Branco 2019

Herdade dos Templários Branco 2019 – 4,5 €

Depois, provou-se o Quinta da Badula Reserva, de 2018.

Alvarinho e Arinto.

Um branco jovem.

Com complexidade e estrutura.

E em que atualmente predominam as notas de maracujá.

Quinta da Badula Reserva Branco 2018

Quinta da Badula Reserva Branco 2018 – 10,5 €

A seguir, o Quinto Elemento, da Quinta do Arrobe.

Já da colheita de 2016.

100% Arinto.

Elegante, evoluído, volumoso.

Quinto Elemento Reserva Branco 2016

Quinto Elemento Reserva Branco 2016 – 14,5 €

Prosseguindo com a prova, chegámos a um branco de Rui Reguinga.

Ora, no Tejo, o grande desafio de Rui Reguinga é assumidamente fazer vinhos premium.

De modo que, para além dos Quinta de Vale Veado, o premiado enólogo e produtor já tinha o Tributo, um extraordinário tinto de homenagem ao seu pai.

E agora, com este sedutor branco de 2018, também inspirado na Côtes-du-Rhône, prossegue esse caminho.

Sendo a estreia do Vinha da Talisca.

Um lote de Marsanne (60%), Roussanne (20%) e Viogner (20%).

Tudo uvas provenientes de uma vinha plantada em 2005, ano do nascimento da sua filha “Talisca”.

Sendo um branco intenso e complexo.

Com aromas de fruta branca madura.

Untuoso

Cremoso.

Com uma boa acidez.

E, acima de tudo, extremamente saboroso!

Tudo sempre muito equilibrado.

E num registo de enorme elegância.

Será, pois, igualmente muito interessante acompanhar a sua evolução – são apenas 1200 garrafas.

Rui Reguinga Vinha da Talisca Branco 2018

Rui Reguinga Vinha da Talisca Branco 2018 – 20 €

Depois, foi a vez do projeto que marca o regresso da enóloga Joana Pinhão às suas origens ribatejanas.

Casal das Aires.

E um Chardonnay da Charneca do Tejo.

De 2018.

Sedoso.

Com estrutura.

E muito elegante!

Casal das Aires Chardonnay Branco 2018

Casal das Aires Chardonnay Branco 2018 – 20,9 €

O último branco foi um diferente e original lote de Arinto e... Moscatel.

Em que os 35% de Moscatel estão bastante presentes!

Um vinho gordo.

Mas sem madeira.

E bastante guloso.

Sendo muito interessante o contraste entre o fresco ataque de boca do Arinto e o final untuoso e floral do Moscatel!

Quinta da Escusa Harvest Branco 2016

Quinta da Escusa Harvest Branco 2016 – 9 €

Entre os brancos e os tintos, um rosé.

O Zé da Leonor.

De 2019.

Um rosé fresco e com boa acidez.

Feito a partir de Touriga Nacional, Syrah e... Cabernet Sauvignon!

Zé da Leonor Rosé 2019

Zé da Leonor Rosé 2019 – 5,9 €

Por fim, dois tintos.

Primeiro, o Quinta da Arriça Reserva, de 2017.

Original lote de Pinot Noir, Sousão e Syrah.

Macio.

E com muita fruta.

Quinta da Arriça Reserva Tinto 2017

Quinta da Arriça Reserva Tinto 2017 – 6 €

E depois, para terminar a viagem por vinhos diferentes do Tejo, um desafiante lote de Tinta Barroca – uva muito usada no Douro para Vinho do Porto – e Touriga Nacional.

Um tinto redondo.

Especiado – muito presentes, as notas de cravinho.

E guloso.

Num registo doce e madurão.

A pedir comida!

Comida salgada!

Joana da Cana Reserva Tinto 2016

Joana da Cana Reserva Tinto 2016 – 13 €

Uma prova, pois, que demonstrou a enorme diversidade da região.

Havendo muito para descobrir no Tejo!

Os 9 vinhos do Tejo provados

Os 9 vinhos do Tejo provados

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:15


2 comentários

De numerodosfamosos.com.br/whatsapp-do-tirulip a 15.07.2020 às 15:54

Achei muito interessante atualmente esta sua postagens. Parabéns!

Comentar post



Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D