Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


50 Best 2020 cancelados

por Raul Lufinha, em 30.03.20

50 Best 2020 cancelados

Não vai haver melhor do mundo em 2020.

A organização dos “The World’s 50 Best Restaurants” acabou de anunciar que cancelou a cerimónia prevista para 2 de junho, em Antuérpia.

E que não será divulgada a lista de 2020.

Caso as circunstâncias o permitam, Antuérpia receberá sim a cerimónia de 2021.

Recorde-se que em 2019 o BELCANTO de José Avillez tinha entrado pela primeira vez para o Top 50, tendo ficado no lugar n.º 42.

Aqui fica a notícia integral, divulgada no site dos 50 Best:

«The World’s 50 Best Restaurants is postponed to 2021 as the brand focusses its attention on supporting global recovery

Today 50 Best announces that it is postponing The World’s 50 Best Restaurants 2020. The event in Antwerp, Flanders will take place in 2021, circumstances permitting

The World’s 50 Best Restaurants 2020 awards, sponsored by S.Pellegrino & Acqua Panna, will not take place on 2nd June in Antwerp, Flanders. Neither will 50 Best release its annual list in ranked format this year.

50 Best has taken the decision to postpone the event programme in Antwerp, Flanders until 2021, if the situation allows. Its destination hosts, Visit Flanders and the City of Antwerp, look forward to welcoming the gastronomic community next summer, when we sincerely hope that restaurants will be well underway in a process of rebuilding and recovery.

William Drew, Director of Content for The World’s 50 Best Restaurants, says: “Given the circumstances globally, in 2020 we will put all our efforts into helping the restaurant sector to fight for its future, as well as assisting in the work that chefs and restaurateurs are themselves doing to help others.”

In place of the global gastronomic gathering, 50 Best will design and develop impactful initiatives that will help the world work together in this time of need. It will also use its network to support and amplify programmes that will bolster businesses, while continuing its editorial campaign to support restaurants, restaurant workers and chefs.

This decision has been made as a result not only of current international travel restrictions and severe health concerns, but also in light of the horrific toll that the pandemic is taking on the restaurant and hospitality sectors worldwide, not to mention the suffering of millions of individuals at the hands of the virus.

“We stand united with the restaurant sector at this unprecedented time,” says Drew. “Today we make a pledge that even though there will be no celebration of The World’s 50 Best Restaurants this year, we will act to support and defend restaurants today and in the future. We ask for the community to join us in the initiatives that will take the place of our planned event programme in Antwerp, Flanders this year.

“Our heartfelt thanks go to the restaurant sector and all those who have stepped up to support the community. From offering meals and delivery services, to those liaising with government officials to protect restaurants and their future, we stand with you all.”

50 Best is asking restaurants to complete a short survey to help us stay informed about the local situation in their region. Please do take the time to fill it out and likewise let us know of any initiatives that are available to support restaurant workers at w50best@wrbm.com.»

Fotografia: The World's 50 Best Restaurants

Ver também:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:54

A força das empresas espanholas

por Raul Lufinha, em 25.03.20

Julien Royer, chef do ODETTE, em Singapura, “The Best Restaurant in Asia 2019 & 2020”, e os patrocinadores dos “Asia’s 50 Best Restaurants”

Julien Royer, chef do ODETTE, em Singapura, “The Best Restaurant in Asia 2019 & 2020”... e os patrocinadores dos “Asia’s 50 Best Restaurants”

Um pormenor que salta sempre à vista nestes eventos dos 50 Best – seja na lista dos 50 melhores restaurantes do mundo, seja nos rankings regionais da Ásia e da América Latina – é a força das empresas espanholas.

Por exemplo, atualmente cerca de metade dos “partners” dos 50 Best são espanhóis:

• O banco oficial dos 50 Best é espanhol – o BBVA;

• A cerveja oficial dos 50 Best é espanhola – a Estrella Damm;

• O vinho oficial dos 50 Best é espanhol – o Beronia, da Rioja;

• O gin oficial dos 50 Best é espanhol – o Gin Mare;

• O presunto oficial dos 50 Best é espanhol – o Cinco Jotas;

• E até o fornecedor oficial de “ingredientes para chefs” é espanhol – a Sosa.

Porém, é enganador pensar que essa força das empresas espanholas é apenas financeira. Claro que a vertente financeira conta. Mas há uma outra dimensão que também é necessário existir – e que em Espanha existe. A vontade. É necessário haver uma vontade estratégica de investir na gastronomia.

De facto, os restaurantes espanhóis têm a felicidade de no seu país existirem muitas empresas que apostam fortemente na gastronomia.

Que apostam na gastronomia não para “prestar apoio”, não por caridade, não por mecenato, mas simplesmente porque entendem que – para elas próprias e para o seu próprio negócio – essa é a melhor estratégia!

Tal como há mais de cem anos – para felicidade dos restaurantes franceses (e não só) – houve uma empresa de pneus francesa que resolveu apostar na gastronomia para vender os seus produtos. E começou a fazer guias.

Tal como hoje em dia há empresas, portuguesas e não só, que – para felicidade de desportistas e de músicos – têm antes a estratégia de apoiar eventos desportivos (futebol e não só) ou concertos ao vivo.

Daí que, nestes dias difíceis e de completa imprevisibilidade – em que todos os restaurantes espanhóis estão encerrados e não sabem quando poderão reabrir – alguns deles tenham uma força adicional. A força das empresas espanholas. A força das empresas espanholas que neles investiram. A força das empresas espanholas que fizeram deles seus embaixadores. E que – naturalmente pela ligação emocional, mas também, claro, para não perderem o investimento que já efetuaram – têm um interesse direto (e ativo) em que os chefes e restaurantes seus embaixadores resistam. Resistam e recuperem.

Fotografia: Asia’s 50 Best Restaurants

Ver também:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:52

BELCANTO n.º 42 do mundo

por Raul Lufinha, em 26.06.19

The World's 50 Best RestaurantsOs 50 melhores do mundo em 2019


Confirmaram-se as melhores expectativas!


Em 2019, o BELCANTO de José Avillez, em Lisboa, entrou mesmo para a lista dos 50 melhores restaurantes do mundo.


Ficou no lugar número 42.


E é o único restaurante português a constar de uma lista liderada este ano pelo MIRAZUR, do chef Mauro Colagreco, em Menton, no sul de França.


Ver aqui a classificação completa.

 

Fotografia: The World's 50 Best Restaurants

 

BELCANTO
Rua Serpa Pinto, 10-A, Lisboa, Portugal
Chef José Avillez

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:22

BELCANTO nos 50 melhores do mundo?

por Raul Lufinha, em 18.06.19

BELCANTO já não está nos 51-120BELCANTO já não está nos 51-120


A lista dos 50 melhores restaurantes do mundo tem sempre uma segunda parte e em 2018 o BELCANTO de José Avillez tinha ficado no lugar 75 – depois de já ter ocupado as posições 85 (2017), 78 (2016) e 91 (2015).


Entretanto, relativamente a 2019, começou hoje por ser divulgada a segunda metade da lista, este ano excecionalmente até ao número 120 – ver aqui.


A grande novidade é a de que aí não consta o BELCANTO – nem, aliás, qualquer outro restaurante português.


Pelo que, ou o restaurante de José Avillez teve uma inesperada queda e saiu da lista.


Ou então – o que será bem mais provável – o BELCANTO continuou a subir e terá finalmente entrado no restrito lote dos 50 melhores do mundo, uma lista onde o VILA JOYA de Dieter Koschina chegou a estar no lugar 22 em 2014.


A resposta será dada dia 25 de junho, na cerimónia anual que decorrerá em Singapura.

 

Vamos aguardar!

 

Fotografia: Marta Felino

 

Ver também:

 

BELCANTO
Rua Serpa Pinto, 10-A, Lisboa, Portugal
Chef José Avillez

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:27

ELEVEN MADISON PARK, novo n.º 1 do mundo

por Raul Lufinha, em 05.04.17

Eleven Madison Park

ELEVEN MADISON PARK, dezembro 2016

Vencedor da categoria de melhor restaurante da América do Norte há já vários anos consecutivos, o ELEVEN MADISON PARK do chef suíço Daniel Humm e do gestor Will Guidara, que celebra como nenhum outro a cidade de Nova Iorque, foi finalmente consagrado em 2017 como o n.º 1 do mundo.

Tendo destronado a OSTERIA FRANCESCANA de Massimo Bottura, que continua a ser o melhor restaurante europeu.

Destaque ainda para Dominique Ansel – o criador do Cronut foi considerado The World’s Best Pastry Chef 2017.

Já o melhor restaurante português continua a ser o BELCANTO de José Avillez, em Lisboa – este ano ficou no lugar n.º 85 e é o único representante de Portugal no Top 100.

Todos os pormenores em http://www.theworlds50best.com/.

 

Ver também:

– 2016

– 2013

– 2011

 

Fotografias: Marta Felino e Raul Lufinha

ELEVEN MADISON PARK

11 Madison Avenue, Nova Iorque, EUA

Chef Daniel Humm

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:51

NOMA de novo… o nº 1 do mundo!

por Raul Lufinha, em 29.04.14

A “nova cozinha nórdica” de René Redzepi está de regresso ao topo do mundo – depois de destronar o EL BULLI em 2010 e de também ter vencido em 2011 e 2012, o NOMA, em Copenhaga, foi agora considerado pelos mais de 900 jurados da revista britânica Restaurant como o melhor restaurante de 2014.

Claro que o conceito de “melhor” é puramente subjectivo e muito controverso – sendo porém indiscutível que dos dez melhores de 2014 (1 NOMA, 2 EL CELLER DE CAN ROCA, 3 OSTERIA FRANCESCANA, 4 ELEVEN MADISON PARK, 5 DINNER BY HESTON BLUMENTHAL, 6 MUGARITZ, 7 D.O.M., 8 ARZAK, 9 ALINEA, 10 THE LEDBURY) o restaurante dinamarquês é o que mais tem influenciado toda uma nova geração de cozinheiros, muitos deles replicando no seu “terroir” de origem o que René Redzepi faz na Escandinávia. Basta pensar nos chefs-recolectores…

Por vezes demasiado radical e difícil de compreender pelos povos do sul da Europa, habituados ao conforto dos produtos mediterrânicos, a cozinha do NOMA é, continua a ser, única – rejeita produtos não-nórdicos como o azeite, o tomate ou os citrinos; e quanto mais imitada tem sido, mais tem testado os limites de quem a quer conhecer. Se Ferran Adrià nos dava químicos, René Redzepi serve-nos camarões vivos e insectos…

P.S. 1 – Muitos parabéns também para Leonardo Pereira, o português Chef de Produto do NOMA que esteve há dias em Lisboa a cozinhar no grande segundo dia do Sangue na Guelra.

P.S. 2 – Muitos parabéns igualmente para Dieter Koschina: o seu Vila Joya, no Algarve, ficou no lugar 22! “House of Joy”, como lhe chamou o apresentador da cerimónia…

 

Ver também:

NOMA: (XL) Mais de seis horas depois…

 

Fotografias: © The World’s 50 Best Restaurants 2014 sponsored by S.Pellegrino & Acqua Panna and on Edition Photography, the official photographers for 2014

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:50

Nuno Mendes: “O VIAJANTE está a evoluir de uma maneira bastante boa”

por Raul Lufinha, em 03.05.13

Nuno Mendes, à entrada para a cerimónia dos melhores do mundo em 2013

O chef português Nuno Mendes comentou à agência Lusa a subida do seu restaurante VIAJANTE, em Londres, na lista dos melhores do mundo, do n.º 80 em 2012 para o 59 em 2013:

«Está a subir, é bom sinal.

Parece que estamos a ir no caminho certo.

Estamos a crescer, estamos um pouco mais maduros.

O restaurante está a evoluir de uma maneira bastante boa.»

Fotografia: Rob Lawson / onEdition

VIAJANTE | Town Hall Hotel, Patriot Square, Bethnal Green, Londres, Reino Unido | Chef Nuno Mendes

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:08

Dieter Koschina: “É muito bom para o Algarve, para Portugal”

por Raul Lufinha, em 02.05.13

Dieter Koschina e Gebhard Schachermayer (general manager do VILA JOYA, à esq.)

O chef austríaco Dieter Koschina comentou à agência Lusa a atribuição ao VILA JOYA do lugar n.º 37 na lista dos melhores restaurantes do mundo em 2013:

«Um grande prémio!

É sempre bom e depois tenho sempre novos clientes. De Hong Kong, EUA…

É muito bom para o Algarve, para Portugal.

Tenho uma vida de 20 anos no Algarve com produtos de mar incríveis, sempre com qualidade que nunca tinha visto na minha vida.»

VILA JOYA em Londres, na primeira fila da cerimónia dos 50 melhores de 2013

Fotografias: The World's 50 Best Restaurants

VILA JOYA | Vila Joya Boutique Resort, Estrada da Galé, 120, Albufeira, Portugal | Chef Dieter Koschina

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:01

VILA JOYA: “Showcasing the pulling power of exquisite Portuguese seafood”

por Raul Lufinha, em 01.05.13

É assim que o guia dos 50 melhores restaurantes do mundo apresenta o VILA JOYA:

Showcasing the pulling power of exquisite Portuguese seafood

Flying the flag for Portuguese cuisine is Dieter Koschina’s restaurant at one of the Algarve’s premier luxury hotel resorts.

His training in northern Europe’s leading kitchens is evident in his dishes, while his 20-plus years living the Portuguese lifestyle shines through in his use of local market produce.

Dishes have a nautical theme: langoustine is served with a papaya-chilli vinaigrette while grouper comes with morels and seasonal asparagus.

Fotografia: The World's 50 Best Restaurants

VILA JOYA | Vila Joya Boutique Resort, Estrada da Galé, 120, Albufeira, Portugal | Chef Dieter Koschina

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:12

VILA JOYA, 37º melhor do mundo em 2013

por Raul Lufinha, em 30.04.13

Dieter Koschina novamente entre os 50 melhores do mundo (última fila, 2º da esq.)

O restaurante VILA JOYA, no Algarve, foi considerado o 37º melhor do mundo em 2013 para os mais de 900 membros do júri da revista Restaurant, subindo 8 posições relativamente a 2012.

Igualmente em ascensão está o VIAJANTE, restaurante londrino do chef português Nuno Mendes, que passou do lugar 80º para o 59º.

Este ano a lista é liderada pelo catalão EL CELLER DE CAN ROCA, que trocou de posição com o dinamarquês NOMA. O Top 10 de 2013 é o seguinte:

1. EL CELLER DE CAN ROCA, Girona, Espanha

2. NOMA, Copenhaga, Dinamarca

3. OSTERIA FRANCESCANA, Modena, Itália

4. MUGARITZ, San Sebastián, Espanha

5. ELEVEN MADISON PARK, Nova York, EUA

6. D.O.M., São Paulo, Brasil

7. DINNER BY HESTON BLUMENTHAL, Londres, Inglaterra

8. ARZAK, San Sebastián, Espanha

9. STEIRERECK, Viena, Áustria

10. VENDÔME, Bergisch Gladbach, Alemanha

A lista completa dos 100 melhores pode ser consultada aqui.

Fotografia: The World's 50 Best Restaurants

VILA JOYA | Vila Joya Boutique Resort, Estrada da Galé, 120, Albufeira, Portugal | Chef Dieter Koschina

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:51


Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Últimos comentários



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D