Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O ‘Bolo-Rei de Cacau’ de Francisco Siopa

por Raul Lufinha, em 05.01.17

Francisco Siopa

Francisco Siopa

Francisco Siopa queria fazer um Bolo-Rei.

Mas tinha que ser um bolo diferente!

Já há tantos Bolos-Reis no mercado, feitos das mais variadas formas e feitios, inclusivamente de chocolate, que mais um, para ter a assinatura “Siopa”, teria que fazer a diferença.

E essa originalidade começa logo no conceito!

É um bolo algures entre o Rei e a Rainha.

Não tem frutas cristalizadas, como o Bolo-Rainha, deixando os frutos secos brilhar.

Mas também tem fruta, aliás bastante nobre, nomeadamente arandos e damascos caramelizados.

E depois a massa é especial e única, trabalhada com leveduras selvagens.

Extremamente rica, leva imensos ovos e manteiga.

Sendo amassada… sem água!

E incluindo, em partes iguais, farinha e cacau puro – daí o chocolateiro Francisco Siopa fazer muita questão em acentuar que este não é um Bolo-Rei “de chocolate”… mas “de cacau”!

Além de que, em vez de açúcar… Francisco Siopa usa mel!

Tal como muita raspa de laranja.

E também – é uma das novidades da receita deste ano – vinagre balsâmico!

No interior, nozes… e pepitas de chocolate!

Bem como sultanas e arandos previamente marinados numa deliciosa calda de Grand Marnier, Rum da Madeira e – outra novidade deste ano – licor de chocolate Mozart.

Por fora, em vez das frutas cristalizadas e daqueles enormes pedaços de açúcar branco que a maioria das pessoas felizmente já não come, Francisco Siopa prefere o sabor e a textura crocante do grué de cacau – os famosos nibs – e também das nozes e das avelãs… cobertas com ouro em pó!

Leve, elegante e requintado, o resultado é um extraordinário bolo de alta pastelaria!

Extremamente fresco e saboroso, apresenta-se bastante complexo e original, entre o Bolo-Rei, o Bolo-Rainha e o Bolo de Chocolate!

E ligando maravilhosamente com Vinho do Porto, seja ruby ou tawny.

Além de que, por ser artesanal – sem quaisquer corantes nem conservantes – e por ser produzido em muito pequena escala, só está disponível por encomenda, no Mercado da Vila em Cascais e no Mercado de Campo de Ourique em Lisboa.

Embora às quartas e aos sábados haja sempre alguns em Cascais!

Mas são tão poucos e tão bons que é mais seguro encomendar previamente!

Definitivamente, uma experiência gastronómica a não perder!

Francisco Siopa na sua ‘fábrica’ de chocolate

Francisco Siopa na sua ‘fábrica’ de chocolate

Levedura selvagem

Levedura selvagem

Vinagre balsâmico, um dos novos ingredientes deste ano

Vinagre balsâmico, um dos novos ingredientes da receita deste ano

Bolo-Rei de Cacau do Siopa

O Bolo-Rei de Cacau do Siopa…

Bolo-Rei de Cacau do Siopa

… em Cascais, no Mercado da Vila…

Bolo-Rei de Cacau do Siopa

… e também em Lisboa, no Mercado de Campo de Ourique

 

SIOPA Chocolatier

Mercado da Vila, Rua Padre Moisés da Silva, 31, Cascais, Portugal

Mercado de Campo de Ourique, Rua Coelho da Rocha, 104, Lisboa, Portugal

Chef Francisco Siopa

Tel. 211 369 327

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:54


Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Agenda

MARÇO
3 -PRÉMIOS ‘BOA CAMA BOA MESA’ Cerimónia de entrega dos prémios do guia Boa Cama Boa Mesa, do jornal Expresso
Até 14 -‘ACONCHEGO CARIOCA’ NO BAIRRO DO AVILLEZ Pop-up do restaurante de Kátia Barbosa, nas varandas do Bairro do Avillez
Até 15 -TEMPORADA DA LAMPREIA NO VARANDA DE LISBOA No restaurante panorâmico do Hotel Mundial, um menu especial dedicado à lampreia

MAIO
19-20 -SYMPOSIUM SANGUE NA GUELRA 2020 Virgilio Martínez, do CENTRAL, em Lima, no Peru, é o primeiro nome confirmado

JUNHO
2 -THE WORLD'S 50 BEST RESTAURANTS 2020

SETEMBRO
12-13 -CHEFS ON FIRE 2020 – FOOD, FIRE & MUSIC Um festival em que os chefs cozinham exclusivamente com fogo durante mais de 24h. Ao fire pit e outras estruturas inéditas junta-se um cartaz de concertos, num projeto de slow cooking que celebra as origens da cozinha, bem como a simplicidade de esperar e de deixar que o tempo e o fogo cuidem dos alimentos


Últimos comentários

  • Anónimo

    Obrigado pelo esclarecimento.

  • Raul Lufinha

    Também coloquei essa questão – o que me foi dito é...

  • Anónimo

    Numa altura em que tanto se fala de igualdade, é a...

  • Raul Lufinha

    Muito obrigado!!!

  • Anónimo

    BRAVO !!!!👏👏👏👏EXCELENTE TEXTO !!

  • Raul Lufinha

  • Anónimo

    Parabéns Chef JOAQUIM de Sousa , Excelente !!!❤️🇵🇹...

  • Raul Lufinha

    1. A categoria das três estrelas é a mais importan...

  • Anónimo

    De verdade que não entendo porque perdem tanto tem...

  • Raul Lufinha

    1. O que é grave é que o que a Michelin anunciou q...



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D