Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


PIGMEU, petiscos de porco… leves e frescos

por Raul Lufinha, em 17.05.18

Miguel Azevedo Peres

Miguel Azevedo Peres

O PIGMEU de Miguel Azevedo Peres, no bairro de Campo de Ourique, em Lisboa, dedica-se às sandes e petiscos de porco – o lema é mesmo “de tudo um porco”.

E agora, com a chegada do bom tempo, as sandes continuam obrigatórias.

Já os petiscos, tornaram-se ainda mais leves e frescos!

 

Aconchego

Aconchego | Pão de forno a lenha, tostinhas, pâté de cabeça de leitão e uma extraordinária “Manteiga de Porco” que, na verdade, é banha de porco emulsionada com manteiga de alho e ervas!

 

“Tibornas” de Porco

“Tibornas” de Porco | Torresmo, cebola e beterraba.

 

Ovos à “Aníbal”

Ovos à “Aníbal” | Ovos mexidos com mioleira – o “Aníbal” é o “Hannibal”...!

 

Abacate, Camarão e Crocante numa Torrada

Abacate, Camarão e Crocante numa Torrada | O PIGMEU a jogar no campeonato da healthy food.

 

Escabeche de Leitão com Mexilhão

Escabeche de Leitão com Mexilhão | Para apreciadores de vinagre.

 

Salada de Laranja e Papada

Salada de Laranja e Papada | A prova de que os petiscos de porco também podem ser leves e frescos.

 

Satay de Cachaço

Satay de Cachaço | Saborosas espetadas de cachaço de porco – com mel, soja, cebolinho e gergelim – para mergulhar num molho de amendoim, citronela e sementes de sésamo.

 

Pica-pau de Tubarão

Pica-pau de Tubarão | Na verdade, é um pica-pau de túbaros! A carne vem tenríssima. Sendo um prato muito equilibrado de sabores, com vinagre, manteiga e mostarda na medida certa. Excelente!

 

Bo Sam (aka Bonzão)

Bo Sam (aka Bonzão) | Cachaço de porco, primeiro marinado doze horas e depois cozinhado outras doze horas a baixa temperatura, ficando tão tenro que se desfaz à colher! Sendo depois para enrolar numa folha de alface; ir temperando com os diversos molhos; e comer com arroz e vegetais laminados! Excelente!

 

Mousse de Lima

Mousse de Lima | Leve e fresca.

 

Pudim do Abade Fit

Pudim do Abade Fit | O sabor de sempre, numa dose mais reduzida e consensual. Mas, claro, quem achar pouco pode pedir um segundo!

 

RAIZ Tinto 2015

RAIZ Tinto 2015 | Um vinho fresco e complexo que não precisa de álcool para brilhar – tem apenas 12% – e em que Tiago Teles amacia elegantemente a poderosa casta Vinhão com um pouco de Padeiro de Basto.

 

Sabedoria popular

Sabedoria popular | Foi este o azulejo que Alex Atala partilhou o mês passado no seu Instagram quando veio ao PIGMEU.

 

Ver também:

 

PIGMEU

Rua 4 de Infantaria, 68, Campo de Ourique, Lisboa, Portugal

Proprietário Miguel Azevedo Peres, Chef João Revés

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:19

Cinco cervejas artesanais LX

por Raul Lufinha, em 25.02.18

Duarte Cunha e Silva dando as boas-vindas com a Pale Ale da Cerveja LX

Duarte Cunha e Silva dando as boas-vindas com a Pale Ale da Cerveja LX

Dedicado aos sabores de influência asiática, o primeiro dos quatro jantares comemorativos dos três anos do PIGMEU foi harmonizado com as cervejas artesanais LX.

O cervejeiro Duarte Cunha e Silva começou por dar as boas-vindas com a leve Pale Ale, com notas frescas de gengibre.

A seguir apresentou a Crazy Santa, uma cerveja de trigo igualmente leve e que foi a edição especial de Natal da Cerveja LX.

Depois serviu a Rye IPA, uma Indian Pale Ale feita com malte de centeio num estilo exótico, apresentando ligeiras notas de maracujá.

A quarta cerveja da noite foi uma Bock, com o malte muito presente.

E, por fim, Duarte Cunha e Silva apresentou aquela que disse ser a estrela da companhia: uma cerveja preta! Contudo, não era uma Stout mas antes uma Black Rye IPA. Ou seja, uma Rye IPA, consequentemente com o lúpulo muito presente, feita com maltes torrados – embora num registo de grande suavidade!

Crazy Santa

Crazy Santa

Rye IPA

Rye IPA

Bock

Bock

Black Rye IPA

Black Rye IPA

 

Ver também:

 

PIGMEU

Rua 4 de Infantaria, 68, Campo de Ourique, Lisboa, Portugal

Chef João Revés

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:02

Pedro Bandeira Abril transformou três clássicos portugueses em pratos de porco asiáticos

por Raul Lufinha, em 23.02.18

Pedro Bandeira Abril na cozinha do PIGMEU

Pedro Bandeira Abril na cozinha do PIGMEU

Para o primeiro dos quatro jantares comemorativos dos três anos do PIGMEU, dedicado aos sabores de influência asiática, Pedro Bandeira Abril fez a ponte entre a cozinha tradicional de matriz bem portuguesa que pratica na TABERNA SAL GROSSO, em Santa Apolónia, e os sabores da Ásia.

De modo que resolveu transformar três clássicos portugueses… em pratos de porco asiáticos!

O primeiro foi o pão com chouriço! Que surgiu na mesa como um bao, com um saboroso recheio de cachaço de porco e aquilo a que se poderia chamar um “molho barbecue chinês”.

Depois, a canja! Que no PIGMEU virou um extraordinário ramen, em que se destacava o caldo, profundíssimo!

E, por fim, o arroz-doce! Tendo Pedro Bandeira Abril fechado o jantar de nove momentos d’Os Porquinhos da Ásia juntando os dois continentes numa excelente sobremesa de sabores intensos, simultaneamente doces e salgados, que ligou o nosso arroz-doce ao sticky rice asiático… e em que, para não faltar o porco do PIGMEU, o chefe da TABERNA SAL GROSSO trabalhou o arroz com toucinho, à semelhança do que se faz no pudim Abade de Priscos! E depois, por cima, Pedro Bandeira Abril não polvilhou o arroz com a habitual canela, mas antes com coco, torrado e ralado, e com presunto desidratado! Excelente!

Char Siu Bao

Pão com Chouriço virou "Char Siu Bao"

Miso Ramen

Miso Ramen

Miso Ramen

Miso Ramen

Miso Ramen

Canja virou "Miso Ramen"

Sticky Coconut Rice

Arroz-doce virou "Sticky Coconut Rice"

 

Ver também:

 

PIGMEU

Rua 4 de Infantaria, 68, Campo de Ourique, Lisboa, Portugal

Chef João Revés

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:46

Constança Cordeiro cozinhou dois cocktails

por Raul Lufinha, em 23.02.18

Constança Cordeiro no bar do PIGMEU

Constança Cordeiro no bar do PIGMEU

O que tinha sido anunciado é que os menus de degustação dos quatro jantares comemorativos dos três anos do PIGMEU seriam compostos por nove momentos, harmonizados depois com cocktails, vinhos ou cervejas.

E que no primeiro, intitulado Os Porquinhos da Ásia e dedicado aos sabores asiáticos, não haveria vinho – a harmonização seria feita com os cocktails da bartender Constança Cordeiro (também conhecida como Raposa Silvestre e que irá abrir em breve em Lisboa o seu bar A TOCA DA RAPOSA) e ainda com as cervejas artesanais LX.

Contudo, não foi assim que tudo se passou!

Foi ainda melhor!

Com efeito, Constança Cordeiro apresentou dois estimulantes cocktails por si literalmente cozinhados!

E que tinham ganho o estatuto de momentos do menu de degustação!

Ou seja, os dois cocktails foram muito mais do que meras harmonizações, foram mesmos “pratos”!

A abrir o jantar, Constança Cordeiro recriou os sabores da Pho – famosa sopa vietnamita – num cocktail de vodka a que deu o nome de “Um Porquinho de Vietnam”. Para tal, cozinhou lentamente a baixa temperatura a gordura do presunto com vodka e fez também um xarope com gengibre, malaguetas e coentros. O resultado foi um cocktail intenso e complexo, num registo picante. E com aquilo a que nos vinhos se chama de corpo e de estrutura. Daí que, mais do que para beber com comida, fosse mesmo um cocktail para comer!

E depois, a meio do jantar, Constança Cordeiro foi ainda mais longe e serviu uma apurada sopa de miso encarnado, feita com cogumelos, presunto e whisky. Ou seja, uma sopa quente e alcoólica! Que, na verdade, era também um desafiante cocktail de whisky! E ao qual deu o nome de “Piggeisha”. À parte, a Raposa Silvestre serviu ainda uma tira de pele do porco bem frita e crocante, barrada com uma pasta de marmelo trabalhada com vodka e mel. Brutal!

Foram dois momentos inesquecíveis!

Constança Cordeiro

Um Porquinho de Vietnam

Um Porquinho de Vietnam

Um Porquinho de Vietnam

Constança Cordeiro

Constança Cordeiro

Constança Cordeiro

Constança Cordeiro

Piggeisha

Piggeisha

Piggeisha

Piggeisha

 

Ver também:

 

PIGMEU

Rua 4 de Infantaria, 68, Campo de Ourique, Lisboa, Portugal

Chef João Revés

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:11

Anna Lins trouxe a Ásia ao PIGMEU

por Raul Lufinha, em 21.02.18

Anna Lins na cozinha do PIGMEU

Anna Lins na cozinha do PIGMEU

Dedicado aos sabores asiáticos, o primeiro dos quatro jantares comemorativos dos três anos do PIGMEU também contou com a presença de Anna Lins.

Tendo a chef do MISS JAPPA sido responsável por três dos nove momentos do menu de degustação desta noite única.

Primeiro, um saboroso dumpling de carne de porco, em que também brilhavam os sabores do gengibre, da laranja e do vinagre preto.

Depois, sobre as carnudas folhas dos canónicos, Anna Lins apresentou duas fatias de uma deliciosa barriga de porco assada no forno. Sendo acompanhada da polpa levemente cítrica do pomelo, temperada com sweet chilli sauce, hortelã, coentros e lima. E tendo depois, no topo, dois torresmos em que a pele do porco surgiu bem frita e crocante.

Por último, num registo leve e elegante, bochecha de porco com arroz, soja e picles.

Dumpling, Gengibre e Laranja

Dumpling, Gengibre e Laranja

Salada de Barriga

Salada de Barriga

Chasumi de Bochecha

Chasumi de Bochecha

 

Ver também:

 

PIGMEU

Rua 4 de Infantaria, 68, Campo de Ourique, Lisboa, Portugal

Chef João Revés

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:28

Os dois pratos de porco asiáticos de João Revés

por Raul Lufinha, em 21.02.18

João Revés na cozinha do PIGMEU

João Revés na cozinha do PIGMEU

No primeiro dos quatro jantares comemorativos dos 3 anos do PIGMEU, dedicado à cozinha asiática, o chef da casa, João Revés, assinou dois dos nove momentos.

Primeiro, a recriação do satay de porco – uma espetada acompanhada de molho de amendoim.

E depois um delicioso cachaço de porco a desfazer-se na boca e em registo street food.

Mini Satay

Mini Satay

Cachaço à Indochina

Cachaço à Indochina

Cachaço à Indochina

Cachaço à Indochina

Cachaço à Indochina

Cachaço à Indochina

Cachaço à Indochina

 

Ver também:

 

PIGMEU

Rua 4 de Infantaria, 68, Campo de Ourique, Lisboa, Portugal

Chef João Revés

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:27

3 anos de PIGMEU

por Raul Lufinha, em 19.02.18

Miguel Peres, dono do PIGMEU

Miguel Peres, dono do PIGMEU

O PIGMEU, no bairro de Campo de Ourique, em Lisboa, é um restaurante especializado em petiscos de porco.

E, de modo a comemorar em grande os três anos do projeto, o dono Miguel Peres convidou uma série de amigos – cozinheiros e não só – para participarem ativamente em quatro jantares abertos ao público, sempre ao domingo.

O Mesa do Chef assistiu ao primeiro e pode desde já adiantar que foi muito estimulante: decorreu ontem, dia 18, teve como mote a cozinha asiática – daí ter recebido o nome de “Os Porquinhos da Ásia” – e, para além do chef anfitrião João Revés, contou com a presença dos chefs Anna Lins (MISS JAPA) e Pedro Bandeira Abril (TABERNA SAL GROSSO), bem como da bartender Constança Cordeiro (A TOCA DA RAPOSA) e do cervejeiro Duarte Cunha e Silva (Cerveja LX).

Cerveja LX PIGMEU

Cerveja LX PIGMEU

Quanto ao alinhamento para cada um dos restantes três domingos, está previsto o seguinte, com um preço de 45€ que já inclui bebidas:

  • 25 de fevereiro – “F***ing PORKtuguese”

- Chef Miguel Gomes (BELCANTO)

- Chef Gil Fernandes (FORTALEZA DO GUINCHO)

- Chef Manuel Lino (LOCAL)

- Chef Hélio Loureiro

- Barman Alain Branco (PISTOLA Y CORAZÓN)

- Enóloga Mafalda Vasques (Herdade dos Grous)

  • 4 de março – “Somos Cochinos”

- Chef Jos (PISTOLA Y CORAZÓN)

- Leonor Pedro (PRADO)

- Chef João Revés (PIGMEU)

- Beer Pairing (a confirmar)

- Cocktails (a confirmar)

  • 11 de março – “Pork’n’Cheese”

- Chef André Magalhães (A TABERNA DA RUA DAS FLORES e TABERNA FINA)

- Chef Leopoldo Garcia Calhau (CAFÉ GARRETT)

- Queijeiro Pedro Cardoso (QUEIJARIA)

- Barman Carlos Santiago (Diageo Reserve Brand Ambassador)

- Enólogo Mauro Azóia

PIGMEU

PIGMEU, petiscos de porco…

PIGMEU

… em Campo de Ourique

 

Ver também:

 

PIGMEU

Rua 4 de Infantaria, 68, Campo de Ourique, Lisboa, Portugal

Chef João Revés

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:07


Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Últimos comentários

  • Anónimo

    O melhor Restaurante de VILAMOURA e um dos melhore...

  • Anónimo

    Chamo-me Francisco Pôla, tal como você. é possivel...

  • Raul Lufinha

    Para memória futura: hoje, dia 05-02-2018, o SAPO ...

  • Raul Lufinha

    Entretanto, para memória futura, a 31-01-2018 já u...

  • Raul Lufinha

    Agradeço a informação, Pedro. Embora só possa lame...

  • Pedro

    Caro Raul,peço desculpa pelo meu comentário não es...

  • Raul Lufinha

    Obrigado Duarte. Acho que vais gostar, vai ser uma...

  • Duartecalf

    Parabéns pela reportagem.Confesso que nunca foi um...

  • Anónimo

    Fico muito feliz, em saber do selo Vegano! Havia p...

  • Anónimo

    Para além de alguns sitios mais "canalhas" na Baix...



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D




subscrever feeds