Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Castelo de Santarém

por Raul Lufinha, em 20.02.20

Chef Rodrigo Castelo

Chef Rodrigo Castelo

Dá imenso gosto – e é de inteira justiça – ver a cidade de Santarém completamente rendida ao trabalho de Rodrigo Castelo!

A cidade e a região – na verdade, o Ribatejo!

Incluindo os mais diversos produtores de vinho do Tejo, que gostam sempre de ter nos seus eventos a cozinha ribatejana de Rodrigo Castelo.

Sendo, pois, recorrentes no Ribatejo os elogios ao chef da TABERNA Ó BALCÃO.

Como aconteceu há dias mais uma vez, agora na apresentação das celebrações dos 40 anos do Festival Nacional de Gastronomia de Santarém – a que se seguiu um almoço da Ordem da Cabidela, preparado por Rodrigo Castelo e harmonizado com os vinhos da Adega do Cartaxo – em que João Teixeira Leite, presidente da empresa municipal Viver Santarém, apresentou publicamente o chef como um “símbolo maior da gastronomia do concelho”!

Efetivamente, Rodrigo Castelo assumiu com tal sucesso a bandeira da gastronomia de Santarém que agora é a própria cidade – a cidade e a região – que se revê no seu chef!

Não existindo atualmente em Portugal uma outra cidade, e até uma outra região, que possa dizer que tem como símbolo maior um chefe de cozinha – pelo menos, da forma como Santarém tem Rodrigo Castelo!

Tal resulta igualmente, de forma indiscutível, do facto de Rodrigo Castelo – ao nível da sua cidade (e também da sua região) – conseguir conciliar o que muitas vezes aparenta ser inconciliável.

Isto é, conseguir conciliar a cozinha tradicional com a cozinha de autor.

Com efeito, Rodrigo Castelo pratica uma cozinha criativa, “de chef”, com personalidade, com voz própria, mas também completamente assente nos produtos locais e nos sabores antigos, nos sabores tradicionais, nos sabores e nos saberes de sempre da região ribatejana.

O que é de extrema importância para a dupla afirmação da identidade e da contemporaneidade de Santarém e do Ribatejo!

Não é só para a identidade! Não é só para preservar o passado! Não, não é esse o lado mais importante do trabalho de Rodrigo Castelo!

O mais significativo em Rodrigo Castelo é dar contemporaneidade! É trazer modernidade! É transportar esses tempos antigos para a atualidade e dar-lhes um renovado sentido útil! É mostrar, com a sua credibilidade de chef, que a linguagem da cozinha tradicional continua a fazer sentido nestes tempos atuais em que os cozinheiros se tornaram mediáticos chefes de cozinha de quem se espera que façam não o de sempre mas o diferente, nestes tempos estranhos em que “cozinhar bem” não é tanto fazer como sempre foi feito, é mais fazer o que nunca foi feito.

Pelo que, nessa medida, ao ter uma criativa cozinha de autor baseada nos sabores tradicionais de Santarém, o chef Rodrigo Castelo, nos dias de hoje, para além de símbolo da cidade e da região, tornou-se também um verdadeiro guardião de Santarém!

Ou seja, o Rodrigo é o Castelo... de Santarém!

Cabidela de peixe do rio com ovas de barbo

Cabidela de peixe do rio com ovas de barbo

 

Ver também:

 

TABERNA Ó BALCÃO
Rua Pedro de Santarém, 73, Santarém, Portugal
Chef Rodrigo Castelo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:05

Rodrigo Castelo na Quinta da Ribeirinha

por Raul Lufinha, em 22.10.19

Chef Rodrigo Castelo assando o bode capado

Chef Rodrigo Castelo assando no espeto o bode capado

Grande embaixador do Ribatejo, Rodrigo Castelo confecionou o almoço de apresentação do Festival Nacional de Gastronomia de Santarém de 2019, que irá decorrer de 24 de outubro a 3 novembro – e do qual, aliás, o próprio chef da TABERNA Ó BALCÃO é este ano novamente um dos cabeças-de-cartaz, ao assinar, conjuntamente com o chef João Correia, do DOIS PETISCOS, o ‘Banquete’ do dia 1 novembro, que será uma homenagem às grandes cozinheiras de Santarém!

Tendo o lançamento da 39.ª edição do festival sido realizado no espaço de enoturismo da Quinta da Ribeirinha, onde Rodrigo Castelo, para além de servir os seus emblemáticos snacks, homenageou ainda o grão-de-bico ribatejano Casal Vouga e assou no espeto um bode capado, tudo sempre harmonizado com os vinhos do anfitrião produtor da região do Tejo.

Vale de Lobos Espumante Branco Bruto 2014, 100% Fernão Pires, dégorgement 2019

Vale de Lobos Espumante Branco Bruto 2014, 100% Fernão Pires, dégorgement 2019

Vale de Lobos Espumante Branco Bruto 2014, 100% Fernão Pires, dégorgement 2019

Croquetes de rabo de toiro, com mostarda

Croquetes de rabo de toiro, com mostarda

Fataça e atum no ‘Coscorão do Rio até ao Mar’

Fataça e atum no ‘Coscorão do Rio até ao Mar’

Macaron de foie de aves

Macaron de foie de aves

Rodrigo Castelo e o bode capado a assar no espeto

Rodrigo Castelo e o bode capado a assar no espeto

Rodrigo Castelo e o bode capado a assar no espeto

Rodrigo Castelo e o bode capado a assar no espeto

Peixe-rei, com maionese de lima-limão na base; manteiga de alho envelhecido, com pó de coral; húmus de grão Casal Vouga, com cominhos, salsa e vinagre

Pães de trigo, centeio e alfarroba

Pães artesanais de trigo, centeio e alfarroba

Tábua com cecina de barriga de Malhado de Alcobaça e língua de vitela fumada

Tábua com cecina de barriga de Malhado de Alcobaça e língua de vitela fumada

Vale de Lobos Syrah tinto 2015

Vale de Lobos Syrah tinto 2015

Perdiz em escabeche, com marmelo assado e óleo de coentros

Perdiz em escabeche, com marmelo assado e óleo de coentros

Perdiz em escabeche, com marmelo assado e óleo de coentros

Perdiz em escabeche, com marmelo assado e óleo de coentros

Vale de Lobos Grande Escolha branco 2017, Chardonnay e Fernão Pires (70%)

Migas de ovas de barbo apoejadas, com fataça em manteiga noisette

Migas de ovas de barbo apoejadas, com fataça em manteiga noisette

Migas de ovas de barbo apoejadas, com fataça em manteiga noisette

Migas de ovas de barbo apoejadas, com fataça em manteiga noisette

Migas de ovas de barbo apoejadas, com fataça em manteiga noisette

Sopa de galo do campo à lavrador, com grão Casal Vouga, mão-de-vaca e enchidos de porco

Sopa de galo do campo à lavrador, com grão Casal Vouga, mão-de-vaca e enchidos de porco

Sopa de galo do campo à lavrador, com grão Casal Vouga, mão-de-vaca e enchidos de porco

Sopa de galo do campo à lavrador, com grão Casal Vouga, mão-de-vaca e enchidos de porco

Bode capado assado no espeto e arroz da matança

Bode capado assado no espeto e arroz da matança

Bode capado assado no espeto e arroz da matança

Bode capado assado no espeto e arroz da matança

Bode capado assado no espeto e arroz da matança

Bode capado assado no espeto e arroz da matança

Bode capado assado no espeto e arroz da matança

Bode capado assado no espeto e arroz da matança

Bode capado assado no espeto e arroz da matança

Vale de Lobos Grande Escolha José e Violante tinto 2013, Touriga Nacional (50%) + Syrah (30%) + Alicante Bouschet (20%)

Vale de Lobos Grande Escolha José e Violante tinto 2013, Touriga Nacional (50%) + Syrah (30%) + Alicante Bouschet (20%)

Mousse de chocolate ‘com cheirinho’ de colheita tardia… e com cremoso sorbet de colheita tardia também Vale de Lobos

Mousse de chocolate ‘com cheirinho’ de colheita tardia… e com cremoso sorbet de colheita tardia (também Vale de Lobos)

Vale de Lobos Colheita Tardia branco 2014, 100% Riesling

Vale de Lobos Colheita Tardia branco 2014, 100% Riesling

Rodrigo Castelo

Rodrigo Castelo


Ver também:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:22

Santarém em alta

por Raul Lufinha, em 18.10.19

Santarém, destino gastronómico

Santarém, destino gastronómico

Santarém é um destino gastronómico em alta!

De 24 de outubro a 3 novembro, decorre, na Casa do Campino, a já 39.ª edição do Festival Nacional de Gastronomia de Santarém, este ano dedicado ao tema do vinho e da vinha, e em que os chefes dos famosos ‘Banquetes’, harmonizados com vinhos do Tejo, serão Rui Paula (CASA DE CHÁ DA BOA NOVA), Chakall, Óscar Gonçalves (G POUSADA), João Correia (DOIS PETISCOS) & Rodrigo Castelo (TABERNA Ó BALCÃO) e, ainda, Justa Nobre (O NOBRE) – mais informações aqui.

E depois, no próximo ano, será também em Santarém a celebração do Dia Nacional da Gastronomia Portuguesa 2020, que irá acontecer no último fim de semana de maio e marcará igualmente o início do vasto programa comemorativo dos 40 anos do histórico festival de promoção do património gastronómico português!

 

Ver também:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:26


Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D