Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Por que é que há restaurantes que recusam participar na Restaurant Week?

por Raul Lufinha, em 27.02.14

Começa hoje mais uma edição da Restaurant Week: de 27 de Fevereiro a 9 de Março, restaurantes de todo o país apresentam menus de três pratos (entrada, prato principal e sobremesa) por apenas 20 euros – com algumas excepções, como o CLARO!, que, por esse mesmo preço, faz questão de não renunciar à sua natureza e continuar a servir um menu de degustação… com sete momentos!

Contudo, há igualmente restaurantes que recusam participar no evento. E, no fundo, a razão é simples: não o consideram um bom investimento, no imediato ou a mais longo prazo.

Já menos comum é um chef dar a cara e vir a público apresentar os motivos concretos dessa recusa.

Pois foi o que fez Christian Puglisi. Com a habitual frontalidade e algum mau feitio, escreveu um notável artigo a explicar por que é que os seus restaurantes RELÆ e MANFREDS não iam participar na Copenhagen Dining Week… e também por que é que considera os programas e sites de descontos um “cancro” da restauração.

«Of course the idea of making less of a revenue per guest but still making a higher total is tempting but everything comes with a price and giving discounts might prove to be a disaster.»

«Nothing we do at RELÆ is produced in China by cheap labour or outsourced to India. The veggies are browned locally, the fish is butchered in house and we make our own bread with flour made from Danish wheats and we cannot afford to go on a discounting frenzy because the only thing we would be able to cut the price on by now would be quality.»

Um texto que vale a pena ser lido na íntegra – aqui.

 

Ver também, sobre Christian Puglisi:

RELÆ:

  1. Despojado do acessório, criativo e biológico
  2. Meter o menu na gaveta
  3. Queijo Kornly
  4. Vinho não-manipulado
  5. Pão e azeite
  6. Creme de amêndoa
  7. Minimalismo
  8. Jogo de alcachofras
  9. Gelado de kelp
  10. Um caminho original
  11. “Simple dining & Focused gastronomy”

MANFREDS:

MANFREDS & VIN, o primeiro bar de vinho natural em Copenhaga

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:04



Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Últimos comentários

  • Raul Lufinha

    Fico contente que tenha gostado!

  • Anónimo

    Excelente texto !!!Fazer a ponte das “ madalenas “...

  • Raul Lufinha

    Yes!

  • Anónimo

    Tudo queijos portugueses como os chefes que tanto ...

  • Raul Lufinha

    1) Infelizmente, não conheci o da ilha. Mas a part...

  • Anónimo

    Dificil entender como o Kadeau em Copenhaga chegou...

  • Raul Lufinha

    Destes, ainda não.

  • Anónimo

    Já foi a algum destes restaurantesP

  • Raul Lufinha

    Sim, esse restaurante, o GAGGAN, fechou em agosto ...

  • Luis Santos

    Aconteceu alguma coisa ao Gaggan ? Acho um tanto e...



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D