Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O renovado Leitão Bísaro de João Oliveira

por Raul Lufinha, em 17.09.19

Leitão Bísaro | barriga | alface | queijo S. Jorge | chouriço

Leitão Bísaro | barriga | alface | queijo S. Jorge | chouriço

Leitão Bísaro | barriga | alface | queijo S. Jorge | chouriço

Leitão Bísaro | barriga | alface | queijo S. Jorge | chouriço

Leitão Bísaro | barriga | alface | queijo S. Jorge | chouriço

 

O Leitão está na carta do VISTA desde o início, vai fazer cinco anos.

Com efeito, João Oliveira assume-se como um ‘homem do Norte’ e sempre fez questão de que isso se refletisse na sua cozinha.

Servindo o Leitão como momento de afirmação da largura de horizontes do chef.

Ou seja, como demonstração de que a sua cozinha é maior do que a região onde o restaurante se insere.

De modo que, no VISTA, o Leitão é Leitão da Bairrada.

Mas à maneira de João Oliveira!

E em que, inicialmente, o grande destaque era o ovo – um ovo cozinhado a baixa temperatura.

Depois – talvez por achar que um prato tão reconfortante poderia colidir com a sua linha fine dining ou então para acrescentar ao conjunto um fator surpresa – o ovo começou a ficar escondido.

Escondido debaixo das folhas de espinafre.

Ou até da trufa, negra ou de verão.

E o prato tornou-se um clássico do VISTA.

De tal forma que, quando João Oliveira foi à Rota das Estrelas do GUSTO cozinhar com Heinz Beck e Ricardo Costa do THE YEATMAN, foi este o seu principal prato!

Porém, em meados deste ano, tudo mudou!

Ou quase!

Porque na verdade, apesar de à primeira vista não parecer, é exactamente o mesmo prato… embora com outras formas e com outras texturas!

Agora já não vem numa taça.

Nem é para comer à colher!

Surgindo-nos antes um prato raso… com cinco leitões!

Um tem creme de cebola com chouriço e panko.

Outro é uma terrina de alface grelhada com gema de ovo curada e nabo picante.

Um terceiro é uma espécie de terrina de porco feita com as bochechas e as aparas da cabeça.

O branco é aipo assado com queijo da ilha de São Jorge.

E depois, o último, é a própria barriga de leitão, com a pele bem crocante!

Juntando ainda, João Oliveira, dois poderosos molhos.

Um molho de chouriço.

E, também, já na mesa, um molho de queijo de São Jorge.

Sendo muito interessante começar por provar individualmente cada um dos elementos.

E, a seguir, misturar tudo um pouco.

Efetivamente, o todo é superior à mera soma de cada uma das partes; e tem ainda o mérito de nos fazer regressar aos sabores da versão original, quando vinha tudo junto numa taça.

Um prato extraordinário!

E muito belo!

Que agora se chama ‘Leitão Bísaro’.

E que ganhou uma nova vida!

Estando ainda melhor!

Mesa do ChefMesa do Chef

 

(continua)

 

Fotografias: Marta Felino e Raul Lufinha

 

Ver também:

  • VISTA, Mesa do Chef, agosto 2019:
  1. Na Mesa… do Chef João Oliveira
  2. Surpresas iniciais
  3. Um Gaspacho Alentejano… com carabineiro
  4. Lagostim, um clássico do Chef
  5. Duas raias para a Mesa do Chef
  6. A manteiga leva-nos para o pinhal
  7. Entretanto passa o Chefe Pasteleiro
  8. O renovado Leitão Bísaro de João Oliveira
  9. A carne é forte
  10. Laranjas do Algarve
  11. Sem espinhas, uma enorme sobremesa de chocolate
  12. Visita guiada à nova garrafeira
  13. Chef, quantas estrelas merece o VISTA?

 

 

 


VISTA
Hotel Bela Vista, Av. Tomás Cabreira, Praia da Rocha, Portimão, Algarve, Portugal
Chef João Oliveira

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:58



Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Agenda

JANEIRO
20 -MESA MARCADA Cerimónia de divulgação e entrega de prémios dos 10 Restaurantes e 10 Chefes Preferidos de 2019 do blog Mesa Marcada, de Duarte Calvão e Miguel Pires

MAIO
19-20 -SYMPOSIUM SANGUE NA GUELRA 2020 Virgilio Martínez, do CENTRAL, em Lima, no Peru, é o primeiro nome confirmado

JUNHO
2 -THE WORLD'S 50 BEST RESTAURANTS 2020

SETEMBRO
12-13 -CHEFS ON FIRE 2020 – FOOD, FIRE & MUSIC Um festival em que os chefs cozinham exclusivamente com fogo durante mais de 24h. Ao fire pit e outras estruturas inéditas junta-se um cartaz de concertos, num projeto de slow cooking que celebra as origens da cozinha, bem como a simplicidade de esperar e de deixar que o tempo e o fogo cuidem dos alimentos


Últimos comentários

  • Raul Lufinha

    1. A categoria das três estrelas é a mais importan...

  • Anónimo

    De verdade que não entendo porque perdem tanto tem...

  • Raul Lufinha

    1. O que é grave é que o que a Michelin anunciou q...

  • Anónimo

    Salvo o devido respeito, no global não creio que t...

  • Raul Lufinha

    E no EL PAÍS Rosa Rivas vai pelo mesmo caminho, fa...

  • Raul Lufinha

    Não, não há o prometido crescimento em 2020 – é um...

  • Anónimo

    Face à notícia largamente antecipada do fecho do r...

  • Raul Lufinha

    1 - A Michelin é uma empresa privada, faz os guias...

  • Anónimo

    Esperemos então que o guia passe a ser apenas de E...

  • Raul Lufinha



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D