Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A cerveja também se come

por Raul Lufinha, em 14.10.19

Pica-pau com mostarda caseira de cervejaPica-pau com mostarda caseira de cerveja

 

O grande destaque da MUSA DA BICA é a cerveja!

Mas não apenas pelas 15 torneiras!

Não!

A cerveja brilha igualmente… nos petiscos de Leonor Godinho!

Com efeito, a chef da MUSA DA BICA faz questão de também utilizar cerveja na confeção dos mais diversos pratos, dos doces aos salgados!

Por exemplo, ainda esta semana – fazendo jus ao princípio da MUSA DA BICA de ter não apenas cerveja artesanal mas também craft food – a mostarda caseira do guloso pica-pau tinha sido feita juntando duas cervejas MUSA completamente diferentes, a american pale ale ‘Frank APA’ e a oat stout ‘Twist and Stout’!

Fotografia: Marta Felino

Ver também:

 

MUSA DA BICA
Calçada Salvador Correia de Sá, 2, Lisboa, Portugal
Chef Leonor Godinho

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:44

E o primeiro brinde da Cocktail Week foi… Sex on the Train

por Raul Lufinha, em 12.10.19

Sex on the Train, o candidato do FERROVIÁRIO a melhor cocktail de Lisboa: Absolut Vodka, amêndoa amarga, puré de ananás, sumo de laranja e grenadineSex on the Train, o candidato do FERROVIÁRIO a melhor cocktail de Lisboa: Absolut Vodka, amêndoa amarga, puré de ananás, sumo de laranja e grenadine

 

A Cocktail Week arrancou esta sexta-feira em Lisboa e no Porto.

E o nosso primeiro brinde foi com o… Sex on the Train!

Faz parte do Momento Cocktail do FERROVIÁRIO, estando disponível na modalidade “2 por 1” entre as 18h e as 23h.

E é também o candidato deste renovado bar e terraço de Santa Apolónia  ao concurso do melhor cocktail de Lisboa.

Sendo, tal como o clássico Sex on the Beach, um cocktail à base de vodka e sumo de laranja, pensado para os dias mais quentes.

Porém, nesta complexa e envolvente versão do FERROVIÁRIO, o que brilha mesmo é o intenso sabor... da amêndoa amarga!

Fotografia: Marta Felino

FERROVIÁRIO
Rua de Santa Apolónia, 59, Lisboa, Portugal
Chef Vítor Hugo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:53

É à mesa que se reúne a diáspora mexicana

por Raul Lufinha, em 10.10.19

Alex Méndez, o chef do primeiro ‘Duro de Matar’Alex Méndez, o chef do primeiro ‘DURO DE MATAR’ by PISTOLA Y CORAZÓN

 

Chama-se ‘DURO DE MATAR’ e é o novo projeto do PISTOLA Y CORAZÓN, de Damian Irizarry e Marta Fea.

Todos os meses a famosa taquería lisboeta irá trazer um chefe do México para dois jantares abertos ao público, sempre com muita comida mexicana, música, design, boa onda e mezcal.

Um evento que reunirá a diáspora mexicana... e não só!

A edição inaugural decorre nos dias 16 e 17 de outubro, no TACO SHOP #1, o irmão mais novo do PISTOLA Y CORAZÓN, no Cais do Sodré, em Lisboa, cuja chef, Paulina Orellana, será a anfitriã.

E o primeiro convidado vai ser Alex Méndez, da cidade de Mérida, capital do Estado do Yucatán, um chef que passou pelas prestigiosas cozinhas de Alain Senderens (SENDERENS / LUCAS CARTON), Guy Martin (LE GRAND VÉFOUR) e Alain Passard (ARPÈGE) em Paris, de Helena Rizzo (MANÍ) e Alex Atala (D.O.M.) em São Paulo, e que, já no México, trabalhou com Benito Molina (MANZANILLA). Presentemente, para além de liderar a taquería DE LA UNIÓN e o ‘bar marino’ TINTORERA, ambos em Mérida, Alex Méndez está também a preparar a abertura do ASTRO, um fine dining.

Mais pormenores aqui.

Alex Méndez, o chef do primeiro ‘Duro de Matar’

Duas noites de muito México em Lisboa

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:41

Michelin dá as MÃOS às mesas comunais

por Raul Lufinha, em 08.10.19

Restaurante MÃOSRestaurante MÃOS, em Londres: só uma mesa… comunal

 

A edição de 2020 do Guia Michelin para a Grã-Bretanha e Irlanda, ontem anunciada, traz a excelente notícia de o restaurante MÃOS, do chef português Nuno Mendes, em Londres, ter sido distinguido pela primeira vez com uma estrela!

O que tem, desde já, duas importantes consequências:

Uma, é a de ser mais um extraordinário incentivo do Guia Michelin às mesas comunais e aos restaurantes que funcionam sob esse modelo de mesa única que recebe em simultâneo todos os comensais. É um formato gastronomicamente difícil, é um formato pouco gastronómico – tipo mesa de casamento – que, claro, pode ter o seu interesse pela componente convivial, mas que nos desfoca bastante da comida. Para quem vai jantar pela comida, é claramente uma desvantagem. Mais ainda: deixa o sucesso da experiência bastante dependente da sorte (ou do azar) que tivermos com os desconhecidos companheiros de mesa que nos calham nessa noite. Além de que servir 16 pessoas em simultâneo cria dificuldades em termos de ritmo de serviço, acrescidas, aliás, quando parte da mesa segue pairings distintos. De modo que, sendo um modelo contraditório em si mesmo (comida gastronómica num formato não-gastronómico) é um modelo que precisa de um estímulo externo (por exemplo, do Guia Michelin) para ser desbloqueado e por uma razão dupla: para convencer o público não-gastronómico a ir; e também para convencer o público gastronómico a ultrapassar o desconforto do formato e decidir ir. Em Lisboa, é igualmente este o modelo do CEIA, o fine dining do Chef Pedro Pena Bastos. Sendo ainda de realçar que, apesar de a Michelin dizer que, para a atribuição das estrelas, o que conta é o que está no prato, existem outros modelos não-gastronómicos com comida gastronómica que não têm recebido, da parte do guia Michelin, a mesma simpatia que tem sido dada às mesas comunais – como sucede nomeadamente com os buffets, cujo exemplo mais gritante é o do restaurante VARANDA do Ritz Four Seasons, do Chef Pascal Meynard, em Lisboa, que, ano após ano, é ignorado pelo guia. Pelo que seria muito bom que esta estrela do MÃOS servisse para pôr na moda o difícil modelo das mesas comunais – aliás, se fosse um modelo fácil e de sucesso garantido, haveria muitas mais!

A outra consequência desta distinção é a de aumentar – ainda mais – a expectativa sobre o novo restaurante de Nuno Mendes em Lisboa, no renovado Bairro Alto Hotel. Claro que o discurso oficial tem sido o de baixar a pressão, pondo-se antes a tónica na informalidade e no conforto. Mas, como a estrela do MÃOS para 2020 vem reforçar, Nuno Mendes é claramente um chef do universo Michelin! Pelo que, do novo Bairro Alto Hotel, não se pode esperar menos!

Fotografia: Blue Mountain School / Mãos

MÃOS
Redchurch St., Shoreditch, Londres, GB
Chef Nuno Mendes

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:57

Pastelaria Suíça, 1922-2018

por Raul Lufinha, em 07.10.19

A história da Pastelaria Suíça

A história da Pastelaria Suíça

Fundada em 1922, a emblemática Pastelaria Suíça, no Rossio, em Lisboa, encerrou definitivamente portas quase um século depois, no passado dia 31 de agosto de 2018.

Sendo agora a sua memória perpetuada num livro que nos conta a história do estabelecimento que se orgulha de ter introduzido em Portugal o croissant francês.

Foi escrito pelo investigador João Bernardo Galvão-Telles, sócio da LMT Consultores em História e Património.

E, apesar de ser uma edição colocada maioritariamente fora do mercado, alguns exemplares podem ser adquiridos na histórica Livraria Ferin, em Lisboa.

Memórias da Pastelaria Suíça… e da cidade Lisboa

Memórias da Pastelaria Suíça… e da cidade de Lisboa

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:50

Viena, uma capital gastronómica

por Raul Lufinha, em 06.10.19

Chef Heinz Reitbauer

Chef Heinz Reitbauer a cozinhar no seu STEIRERECK…

STEIRERECK

… restaurante n.º 17 na lista dos 50 Best 2019…

STEIRERECK

… no Parque da Cidade, em pleno centro de Viena. (continua)

 

 

CAFÉ SACHER

A original Sacher-Torte, no CAFÉ SACHER do Hotel Sacher.

 

 

AMADOR

Restaurante AMADOR, do Chef Juan Amador…

AMADOR

… o único 3 estrelas…

AMADOR

… de Viena. (continua)

 

 

KAFFEE ALT WIEN

Wiener Apfelstrudel, no KAFFEE ALT WIEN.

 

 

Ottakringer

Cerveja Ottakringer, no DO & CO…

Catedral de Santo Estêvão

… com vista para a Catedral de Santo Estêvão.

 

 

KONSTANTIN FILIPPOU

A criativa e desafiante cozinha do Chef KONSTANTIN FILIPPOU…

KONSTANTIN FILIPPOU

… duas estrelas Michelin no centro de Viena. (continua)

 

 

Naschmarkt

Naschmarkt, o mais conhecido…

Naschmarkt

… mercado de Viena.

 

 

Wiener Schnitzel

Wiener Schnitzel no FIGLMÜLLER, com salada de batata… e com um copo de Zweigelt, famosa casta tinta austríaca.

 

 

DEMEL

Mesa com vista para a cozinha…

DEMEL

… onde é feita a Sacher-Torte da pastelaria preferida da Imperatriz Sissi, a histórica DEMEL.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:13

A crescente tendência dos cocktails não-alcoólicos

por Raul Lufinha, em 06.10.19

Bartender Tito Carona, Brand Ambassador da Pernod Ricard PortugalBartender Tito Carona, Brand Ambassador da Pernod Ricard Portugal

 

Continua a crescer a tendência – ou a moda – dos cocktails não-alcoólicos.

Não-alcoólicos, mas cocktails mesmo!

Cocktails à séria!

Não aqueles insípidos suminhos sem álcool – não!

Cocktails bons – intensos e com alma!

De tal forma que agora, no lançamento da Lisboa & Porto Cocktail Week, após o cocktail de autor apresentado pela bartender anfitriã – que, naturalmente e sem surpresa, tinha álcool – foi o próprio embaixador da Pernod Ricard a apresentar um cocktail… não-alcoólico!

Ou seja, atualmente é já a própria indústria que, indo ainda mais longe do que o propalado consumo moderado e responsável, assume inclusivamente a bandeira do ‘alcohol-free’ e propõe cocktails não-alcoólicos!

Embora, claro, não haja almoços grátis!

Para fazer grandes cocktails que não precisem de álcool é necessária muita arte e engenho – sem álcool, nem tudo funciona!

Mas não só!

São também precisas… as extraordinárias bebidas não-alcoólicas que a indústria começa cada vez mais a produzir – e a vender!

Como a não-vodka.

Ou os not-rums.

Ou como o gin destilado com zero por cento de álcool – o Ceder’s – cuja especiada variedade ‘Wild’ Tito Carona utilizou neste seu sedutor cocktail abstémio.

Pelo que esta renovada tendência, suportada também pelas lógicas do consumo saudável e vista ainda como um nicho premium, vai fazendo lentamente o seu caminho.

Por exemplo, na referida celebração do cocktail que começa no dia 11, o “momento 2 por 1” apenas facultativamente inclui um cocktail não-alcoólico.

Mas será só uma questão de tempo até que, como já sucede em Londres ou Nova Iorque, seja dado o passo seguinte… e surjam bares de prestígio exclusivamente ‘alcohol-free’!

Ceder’s Wild (Alt-gin), amora, framboesa, coentros, sumo de limão, xarope de açúcar e soda – um cocktail não-alcoólicoCeder’s Wild (Alt-gin), amora, framboesa, coentros, sumo de limão, xarope de açúcar e soda – um cocktail não-alcoólico assinado por Tito Carona

 

Ver também:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:12

No Dão elegante da Quinta da Fata

por Raul Lufinha, em 05.10.19

Eurico Ponces AmaralO produtor Eurico Ponces Amaral

 

A Quinta da Fata fica junto à aldeia de Vilar Seco, no concelho de Nelas, em plena Região Demarcada dos Vinhos do Dão.

Ocupando atualmente já mais de 10 hectares, com a recente aquisição de uma propriedade contígua.

Nesta visita, guiada pelo próprio Eurico Ponces Amaral, foi possível conhecer as vinhas, a adega e o lagar, bem como o projeto de enoturismo e a casa da quinta, construída no final do século XIX.

E, claro, também se provaram os vinhos da Quinta da Fata!

Vinhos de pendor clássico, muito elegantes e equilibrados, com uma boa acidez, e produzidos exclusivamente a partir de castas típicas do Dão – neste caso, Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alfrocheiro, Jaen e Encruzado.

Nos brancos, provou-se o jovem Encruzado já de 2018, só em inox, ainda muito discreto e contido, a merecer mais tempo em garrafa para mostrar todo o seu potencial.

E depois seguiu-se um grande tinto, o sólido e harmonioso Touriga Nacional de 2015, feito com uvas do Talhão do Alto, e que é o topo de gama da Quinta da Fata!

Quinta da Fata

As vinhas

Quinta da Fata

As uvas da casta Encruzado

Quinta da Fata

Os lagares

Quinta da Fata

O jardim

Quinta da Fata

A piscina

Quinta da Fata

A casa

Quinta da Fata

Eurico Ponces Amaral e o vinho

Quinta da Fata Encruzado branco 2018

Quinta da Fata Encruzado branco 2018

Quinta da Fata Touriga Nacional Talhão do Alto tinto 2015

Quinta da Fata Touriga Nacional Talhão do Alto tinto 2015

 

Ver também:

 

Quinta da Fata
Vilar Seco, Nelas, Viseu, Portugal

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:11

Apenas para começar

por Raul Lufinha, em 03.10.19

Chefe de Bar Flavi Andrade e o cocktail que abre o momento ‘Dinner & Cocktail’ do ROSSIO GASTROBARChefe de Bar Flavi Andrade e o cocktail que abre o momento ‘Dinner & Cocktail’ do ROSSIO GASTROBAR

 

O mais estimulante da Cocktail Week, entre 11 e 19 de outubro, vai ser a harmonização de comida e cocktails!

E um dos espaços que está a gerar maior expectativa é o ROSSIO GASTROBAR, onde a Chefe de Bar Flavi Andrade irá apresentar cocktails de autor para acompanhar as criações do Chef João Rodrigues!

Com efeito, apesar dos menus ‘Dinner & Cocktail’ ainda não serem conhecidos, já se sabe que o ROSSIO GASTROBAR vai começar a experiência com uma proposta fortíssima: as falsas cerejas de foie gras!

Para as quais Flavi Andrade apresenta uma sugestão tão inesperada quanto desafiante!

De facto, a harmonização tradicional do foie gras é feita com vinho doce, com Sauternes, com colheita tardia.

Porém, os sabores doces podem efetivamente ser um problema no início da refeição – e aqui o foie gras será o primeiro momento.

Pelo que a Chefe de Bar do ROSSIO GASTROBAR foi por outro caminho: um cocktail… seco!

Um cocktail nada doce – e também nada cítrico.

Mas bem seco!

Ao qual deu o nome de ‘Just Sarting’!

‘Just Sarting’‘Just Sarting’

‘Falsas cerejas de foie gras’
‘Falsas cerejas de foie gras’

 

Sendo um cocktail preparado com Lillet Blanc, clássico aperitivo francês à base de vinho.

E ainda com um gin Beefeater especial, que é infusionado no ROSSIO GASTROBAR com um original blend de ervas – na verdade, cada um dos hotéis Altis tem o seu próprio blend exclusivo e este, chamado ‘Restauradores’, como contou a Flavi Andrade, inclui canela, funcho, hortelã, pimenta preta e gengibre.

Para ser depois, o cocktail, finalizado com um tomate-cereja marinado em água e sal.

Flavi AndradeFlavi Andrade e a garrafa caseira de…

Gin Beefeater infusionado com o blend de ervas ‘Restauradores’… gin Beefeater infusionado com o blend de ervas ‘Restauradores’

 

Tendo o seco cocktail funcionado muito bem com a untuosidade do foie gras!

Efetivamente vale a pena ir ao ROSSIO GASTROBAR para provar as falsas cerejas de foie gras, claro… e também para provar o ‘Just Starting’!

Mas, mais ainda, vale mesmo a pena ir provar a excelente e pouco comum ligação do foie gras… com um cocktail seco!


ROSSIO GASTROBAR
Rua 1.º Dezembro, 118 - 7.º, Lisboa, Portugal
Chefe João Rodrigues / Chefe de Bar Flavi Andrade

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:03

1 ano de SÁLA

por Raul Lufinha, em 02.10.19

João SáO restaurante SÁLA de João Sá fez um ano e o chef convidou os amigos para uma wine party!

SÁLA

Baías e Enseadas Fernão Pires Reserva Branco 2017, um Fernão Pires com uma acidez extraordinária, produzido por Daniel Afonso em vinhas de chão rijo, à sombra da Serra de Sintra

SÁLA

Tártaro de atum

SÁLA

Baías e Enseadas Castelão Tinto 2017

SÁLA

Ceviche de pargo

SÁLA

Baías e Enseadas Malvasia Reserva Branco 2016

SÁLA

João Sá

SÁLA

Quinta dos Termos Fonte Cal Reserva Branco 2018

SÁLA

Tarte Bulhão Pato, numa mini versão finger food!

SÁLA

Quinta da Silveira Reserva Branco 2013

SÁLA

Pirolitos de lula...

SÁLA

... com maionese de coentrada!

SÁLA

Erro Z 2018, um fresco e seco rosé da Quinta do Mouro

SÁLA

João Sá na cozinha, preparando…

SÁLA

… a enguia fumada...

SÁLA

... com molho barbecue...

SÁLA

… e também servindo em dupla magnum…

SÁLA

… o Ripanço de 2014

SÁLA

Wonton com um poderoso recheio de ouriço-do-mar e com lavagante no topo!

SÁLA

2007 Nikolaihof Riesling Steinriesler, Wachau, Áustria

SÁLA

Todo o sabor da Carne de Porco à Alentejana...

SÁLA

... num mini bao de porco preto e amêijoas, com topping de coentros!

SÁLA

2002 Nikolaihof Riesling Vinothek, Wachau, Áustria

SÁLA

Bacalhau com natas!

SÁLA

Zaga Luz Tinto 2018, da Quinta do Mouro

SÁLA

Bolo lêvedo...

SÁLA

... com maionese de beterraba, pickle de pepino...

SÁLA

...e presa de porco preto!

SÁLA

Segredos, excelente Aragonês de 2015 da Família Horácio Simões

SÁLA

Sopa fria de cherovia…

SÁLA

… com cavala fumada...

SÁLA

...e pérolas de vinagre!

SÁLA

Roseira Tinto 2013, da Quinta do Infantado

SÁLA

Quinta do Infantado Reserva Tinto 2012

SÁLA

Entretanto, Alejandro Chávarro abriu Champagne…

SÁLA

… o Jeaunaux-Robin Eclats de Meulière Extra-Brut, em magnum

SÁLA

João Sá propôs um brinde…

SÁLA… e, a seguir a cantarmos os Parabéns, apagou a vela!

SÁLA

Que venham muitos mais!

SÁLA

Mais anos de SÁLA... e também mais restaurantes! Sim, que a chef Marlene tinha acabado de nos contar que prevê abrir em janeiro de 2020 o seu novo restaurante em Lisboa, no Terminal de Cruzeiros, o qual irá ter dois espaços distintos, incluindo um fine dining... gastronomicamente mais ambicioso do que o AVENUE!

SÁLA

O bolo dos anos, ao fundo…

SÁLA

… e um parfait de queijo de cabra com pickle de alperce!

SÁLA

Colecção Privada Domingos Soares Franco Moscatel de Setúbal 1998

SÁLA

Quinta do Infantado Porto Vintage 2017

SÁLA

Quinta do Infantado Porto Vintage 1997…

SÁLA

… servido decantado!

SÁLA

Bola de Berlim com creme de presunto!

SÁLA

Cossart Gordon Madeira 5 Anos Bual + Cossart Gordon Madeira 5 Anos Verdelho

SÁLA

Creme quente de lavagante!

SÁLA

Quinta de San Joanne Branco 2001

Chef João Sá

Muito parabéns, Chef João Sá!


Fotografias: Marta Felino e Raul Lufinha

 

SÁLA
Rua dos Bacalhoeiros, 103, Lisboa, Portugal
Chef João Sá

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:26

Pág. 1/2



Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Agenda

16-17/10 DURO DE MATAR PISTOLA Y CORAZÓN + Alex Méndez
18-20/10 MERCADO DE VINHOS DO CAMPO PEQUENO
19/10 CASTRO LABOREIRO Conhecer os cogumelos a caminhar
Até 19/10 LISBOA & PORTO COCKTAIL WEEK
Até 20/10 RALLY FISH
24/10-3/11 FESTIVAL NACIONAL DE GASTRONOMIA DE SANTARÉM 2019
24/10-17/11 NAVE NOVE
25/10 ACADEMIA TIME OUT Chef do Mercado: Miguel Castro e Silva
25-28/10 GRANDES ESCOLHAS - VINHOS & SABORES 2019
2/11 TORRE DE PALMA WINE HOTEL Rainha Santa Isabel por Isabel Stilwell
Até 3/11 THEFORK FEST
6/11 LAB BY SERGI AROLA - DINING WITH THE STARS Sergi Arola + Henrique Sá Pessoa ALMA + Leonel Pereira SÃO GABRIEL + Óscar Gonçalves G POUSADA
14/11 EGOÍSTA Infante D. Henrique, Plano Conquista Ceuta
16/11 ENÓPHILO WINE FEST PORTO
20/11 GUIA MICHELIN ESPANHA & PORTUGAL 2020
1/12 ONCE UPON A KITCHEN
4-5/12 JOVEM TALENTO DA GASTRONOMIA 2019
14/12 FÄVIKEN último serviço


Últimos comentários



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




subscrever feeds