Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


TABERNA MODERNA, nova ‘Embaixada do Gin No.3’ em Lisboa

por Raul Lufinha, em 18.11.21

no.3

Gin No.3 na TABERNA MODERNA

Há novidades no mundo do gin, em Lisboa:

«Conhecida como um dos primeiros bares de gins da cidade de Lisboa, a TABERNA MODERNA apresenta agora uma zona de bar inspirada no mood No.3 London Dry Gin, reforçando assim o novo posicionamento da marca, assente no conceito The Art of Perfection.

O prestigiado Gin No.3, distribuído em Portugal pela Sogrape Distribuição, representa o expoente máximo do clássico London Dry, na desafiante simplicidade de usar apenas 3 sabores-chave na destilação. Alheio às inúmeras tendências que foram surgindo no mundo desta categoria, a perfeição do Gin No.3 advém do respeito por aquilo que o torna excecional.

Na sua busca constante pela perfeição, o Gin No. 3 apresenta um novo posicionamento, assente no conceito The Art of Perfection, que promete ganhar espaço no mercado nacional de bebidas espirituosas. O primeiro passo já foi dado com um espaço exclusivo na TABERNA MODERNA, na Rua dos Bacalhoeiros, em Lisboa.

“Acreditamos que esta Embaixada do Gin No.3, aliada à campanha The Art of Perfection, seja uma oportunidade para alargar o número de apreciadores da marca em Portugal. O mercado do gin cresceu muito nos últimos anos e acreditamos que os consumidores estão cada vez mais exigentes, procurando produtos de grande qualidade, e o Gin No.3 é uma referência de qualidade indiscutível que vem responder a essa necessidade”, afirma Júlio Martins, Diretor Geral da Sogrape Distribuição.

Por sua vez, Luis Carballo, proprietário da TABERNA MODERNA, defende: “o gin em Portugal deixou de ser uma experiência da moda para ser um culto para os amantes deste subtil destilado e para muitos é uma bebida social, versátil e adaptada à gastronomia. No restaurante TABERNA MODERNA continuamos a apostar no gin, descobrindo as marcas mais recentes e sempre apoiando as consolidadas. O No.3 Gin, clássico e elegante, tem uma destilação perfeita e uma alquimia única, numa garrafa bonita. O bar da TABERNA MODERNA, o LISBONITA GINBAR orgulha-se de ser o embaixador do No.3 em Lisboa”.

O lançamento do conceito The Art of Perfection é inspirado nos especialistas em destilação que estão por trás do Gin No.3 e que combinam paixão e precisão para criar o melhor gin do mundo. A nova campanha revela uma série única de imagens impactantes que apresentam o líquido cristalino do Gin No.3 sob a forma de uma dramática paisagem colorida, podendo ser vistas no site da marca. O microfotógrafo Justin Zoll conseguiu capturar os mais ínfimos detalhes do Gin No.3 a uma escala microscópica, com uma ampliação de 40x e desse trabalho resultou uma obra-prima: uma união de Arte e Ciência que capta a perfeição do gin.

Com uma imagem mais contemporânea e clean, a inconfundível garrafa verde com a chave incorporada dá agora lugar a uma garrafa de formato triangular desenhada pela premiada casa de design Stranger & Stranger, com detalhes intrincados e vidro superior, em que cada lado reflete cada um dos três elementos botânicos da receita do Gin No.3: zimbro, citrinos e especiarias. A cor turquesa do vidro vem representar o sabor refrescante proporcionado pelo equilíbrio perfeito dos 3 elementos, enquanto a icónica chave se mantém na frente e no centro da garrafa, simbolizando com orgulho a morada da Berry Bros. & Rudd, situada no n.º 3 da St James’s Street, em Londres, e a garantia da sua qualidade excecional.

O Gin No.3 é elaborado com a paixão e precisão rigorosa de uma equipa dedicada de mestres da destilação de classe mundial, como o Dr. David Clutton, a única pessoa no mundo com um PhD em Gin, mas também com a colaboração de alguns dos melhores bartenders do mundo. A destilação é feita na Holanda, casa do gin, num alambique centenário em cobre e revestido a tijolos, segundo a tradição holandesa. Com um estilo clássico e um sabor definido, o Gin No.3 atinge um equilíbrio refrescante a partir dos melhores ingredientes vindos de todo o mundo: casca de toranja (Uruguai), casca de laranja (Espanha), sementes de coentro (Bulgária), cardamomo (Guatemala), bagas de zimbro (Itália) e raiz de angélica (Polónia).

Talvez esse seja o motivo para ser o único gin do mundo a receber 4 vezes a distinção de ‘World’s Best Gin’ no International Spirits Challenge e o único alguma vez distinguido como ‘Supreme Champion Spirit’ deste certame.

Em Portugal, o Gin No.3 encontra-se à venda em garrafeiras da especialidade e no retalho especializado (ECI, Apolónia)».

 

Ver também:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:18

‘Borga 2010’ e ‘Íssimo Baga-Bairrada 2016’ vencem Concurso de Espumantes Bairrada 2021

por Raul Lufinha, em 18.11.21

Campolargo

Carlos Campolargo e o Borga 2010

Já são conhecidos os resultados do Concurso de Espumantes Bairrada 2021, de cujo o júri o Mesa do Chef fez parte:

«‘Borga Bruto branco 2010’, do produtor Campolargo Vinhos, e ‘Íssimo Baga-Bairrada Bruto branco 2016’, das Caves Arcos do Rei, foram os grandes vencedores do Concurso de Espumantes Bairrada 2021, promovido pela Comissão Vitivinícola da Bairrada e realizado em “Terras de Bem-Viver” na passada sexta-feira, dia 12 de novembro, sob o julgamento de 12 jurados. De entre os espumantes medalhados com Ouro, os mais pontuados passaram à finalíssima, para assim se eleger a Grande Medalha de Ouro e o que mais se distinguiu na categoria de Baga-Bairrada – criada em 2015 e que conta já com mais de 30 referências. Feitas as contas, o ‘Borga Bruto branco 2010’ apurou-se como o melhor espumante desta competição.

Depois de um ano de interregno, devido à pandemia, foi com enorme satisfação e sentido de missão que a Comissão Vitivinícola da Bairrada voltou a realizar esta iniciativa, sentando à mesa de provas um painel de jurados, composto por jornalistas, bloggers, críticos de vinhos, provadores e buyers, que puderam degustar quase seis dezenas de espumantes certificados com o selo de garantia e qualidade DO Bairrada e IG Beira Atlântico. O Concurso de Espumantes Bairrada 2021 teve lugar no Museu do Vinho Bairrada e foi presidido pelo conceituado crítico de vinhos e jornalista Luís Ramos Lopes, habitante na região e grande conhecedor dos vinhos e espumantes que ali se produzem. A edição deste ano coincidiu com a celebração dos 30 de Denominação de Origem e mais de 130 anos de espumante na região.

De referir que é na região vitivinícola da Bairrada que têm origem mais de 50% dos espumantes produzidos em Portugal e esta predominância não acontece ao acaso. Foi na Bairrada que, em 1890 e pelas mãos do Eng.º Tavares da Silva, se deram os primeiros passos na criação deste vinho efervescente em Portugal. Volvidos 101 de conhecimento, a 08 de fevereiro de 1991, foi criada a Denominação de Origem para os espumantes Bairrada, passando a ter que cumprir os requisitos definidos pela Comissão Vitivinícola da Bairrada para poderem envergar o selo de certificação.

Borga

Borga Bruto branco 2010 (Campolargo Vinhos) – Grande Medalha de Ouro

Íssimo

Íssimo Baga-Bairrada branco 2016 (Caves Arcos do Rei) – Melhor Baga-Bairrada

 

Lista de Espumantes Premiados do Concurso de Espumantes Bairrada 2021

Grande Medalha de Ouro

Borga Bruto branco 2010 (Campolargo Vinhos)

Melhor Baga-Bairrada

Íssimo Baga-Bairrada branco 2016 (Caves Arcos do Rei)

Medalhas de Ouro

Aliança Grande Reserva Bruto branco 2015 (Aliança Vinhos de Portugal)

António Marinha Reserva Bruto rosé 2018 (António Marinha)

Borga Bruto branco 2010 (Campolargo Vinhos)

Casa do Canto Grande Reserva Bruto branco 2016 (Anadiagro)

Íssimo Baga-Bairrada branco 2016 (Caves Arcos do Rei)

Luiz Costa Pinot Noir Chardonnay 5.ª Edição branco 2016 (Caves São João)

Marquês de Marialva Bical & Arinto Reserva branco 2017 (Adega de Cantanhede)

Montanha Real Grande Reserva Bruto branco 2015 (Caves da Montanha)

Primavera Bical Reserva Blanc de Blancs Brut branco 2015 (Caves Primavera)

Quinta dos Abibes Sublime Brut Nature branco 2011 (Quinta dos Abibes)

Trabuca Grand Cuvée 2.ª Edição Brut Nature branco 2016 (Pedro Guilherme Andrade)

Medalhas de Prata

Argau Bruto branco 2017 (Casa dos Barbas)

Montanha Baga Bruto branco 2016 (Caves da Montanha)

Quinta do Poço do Lobo Bruto Natural rosé 2015 (Caves São João)

Quinta do Poço do Lobo Arinto Chardonnay Bruto Natural branco 2017 (Caves São João)»

 

Ver também:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:16

“Míscaros – Festival do Cogumelo” do Fundão de volta às ruas do Alcaide

por Raul Lufinha, em 16.11.21

Míscaros

Alcaide, 19 a 21 de novembro de 2021

Conforme anunciou a organização, «o “Míscaros – Festival do Cogumelo” está de regresso. Depois de um ano em que o festival se realizou, sobretudo, em formato digital, é já nos dias 19, 20 e 21 de novembro que a animação volta às ruas da aldeia do concelho do Fundão, este ano sob o mote “Alice no Mundo dos Cogumelos”.

Organizado pela Liga dos Amigos do Alcaide, em conjunto com a Câmara Municipal do Fundão e a Junta de Freguesia do Alcaide, este evento de ambiente familiar inclui diversas atividades de lazer e culturais na sua programação, desde espaços de restauração a live cookings, workshops e palestras temáticas, passeios micológicos, exposições e diversos elementos de animação nas ruas enfeitadas do Alcaide. Com o intuito de explorar o património fúngico do país, que conta com mais de 300 espécies de cogumelos, entre as quais se destacam os míscaros que nascem nas encostas da Serra da Gardunha, surgiu em 2009 o “Míscaros – Festival do Cogumelo”, um evento que é já uma referência do concelho do Fundão, uma iniciativa de grande importância social e económica para a região.

Durante os três dias de festival, os visitantes podem conhecer a envolvente natural da região, fortalecer a sua relação com a natureza, além de degustar diferentes receitas de cogumelos nas mais de 50 tasquinhas da aldeia, preparadas a preceito para a ocasião. Uma destas especialidades, confecionada à base de cogumelos, será a vencedora do concurso de melhor prato do festival, uma competição que decorre durante todo o evento. No final, o júri, do qual faz parte o crítico gastronómico Orlando Esteves, irá decidir quem será o grande vencedor deste ano.

O festival oferece um programa variado, do qual todos podem usufruir, enquanto percorrem as pitorescas ruas do Alcaide. É também possível participar (mediante inscrição) nos passeios micológicos, acompanhados por especialistas – como o engenheiro Ricardo Torres da Silva, a bióloga Anabela Marisa Azul, Sílvia Leão, André Apolinário e Eduardo Reis –, num divertido passeio na companhia dos fiéis amigos de quatro patas – Passeio CÃOgumelo –, ou ainda aprender sobre cogumelos nutracêuticos no workshop Fungi Perfect. Ao longo de toda a programação existem ainda várias sessões de live cooking protagonizadas pelos vários chefs que irão marcar presença no festival deste ano: José Júlio Vintém, Augusto Gemelli, André Apolinário, Maria Caldeira Sousa, Diogo Colaço, Duarte Batista e Flávio Silva. Todos irão apresentar as suas propostas na Arena Joe Best, que será inaugurada na abertura do festival pela chef Marlei Cardoso, numa homenagem póstuma ao chef que desde a primeira edição abraçou o Míscaros com toda a sua conhecida garra e paixão pela cozinha.

Além das vertentes lúdica e cultural, o Míscaros tem bem presente uma forte preocupação social e ambiental, visível em diversos detalhes do evento, como a utilização de material biodegradável em todo o festival. Mas esta vertente ganha ainda mais visibilidade durante uma das maiores atrações deste festival, o mega-almoço de domingo, em que uma irresistível receita de arroz de míscaros faz as delícias de todos os que por estes dias se deslocam à pequena aldeia do concelho do Fundão. Uma refeição que – por apenas 1€ por pessoa – é ao mesmo tempo uma causa social, revertendo 50% do seu valor para um projeto social, este ano com o donativo dirigido à causa solidária Ângelo Querido, para ajudar um jovem do Alcaide que trava a sua luta contra a Esclerose Lateral Amiotrófica.

Com a mesma consciência social, e de forma a promover a integração, pela mão do chef Ricardo Besteiro o evento abarca ainda a iniciativa “Cozinhar Diferente”, um momento que promove a participação de jovens cozinheiros portadores de Síndrome de Down e permite ao público observar ao vivo técnicas de preparação e confeção dos protagonistas deste festival – os cogumelos –, sensibilizando para o importante papel que a inclusão tem na sociedade. A segurança é outro elemento fundamental no Festival Míscaros, existindo no evento um controlo de qualidade e segurança alimentar – realizado por uma entidade externa certificada –, que garante a qualidade de todos os produtos servidos aos visitantes.

Sendo este um evento para toda a família, claro que os mais novos não podiam ser esquecidos, e por isso existe um espaço inteiramente dedicado às crianças – a Miscolândia – onde a diversão é uma forma de ensinar e sensibilizar para a causa ecológica.

E estão reunidas todas as condições para um divertido e diferente fim-de-semana em família no concelho do Fundão, e nesta freguesia beirã que faz parte das Aldeias de Montanha. O “Míscaros – Festival do Cogumelo” é razão mais que suficiente para visitar a pequena aldeia junto à Serra da Gardunha, que tem tanto para oferecer e que todos os anos em novembro, por três dias, ganha uma nova vida e acolhe milhares de visitantes de todo o país, nesta que é uma festa tão única, tão especial».

Mais informação aqui:

https://www.festivalmiscaros.pt/

 

Ver também:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:37

Casa Ferreirinha também é… azeite

por Raul Lufinha, em 11.10.21

Azeite Virgem Extra Casa Ferreirinha

Azeite Virgem Extra Casa Ferreirinha

A Casa Ferreirinha, marca de referência dos vinhos não fortificados do Douro, agora também é… azeite!

Conforme refere a Sogrape, «o novo azeite da Casa Ferreirinha é uma reinterpretação da produção do século XIX pela obra de Dona Antónia e uma homenagem a um produto premiado, reconhecido em 1900 com duas medalhas de ouro na Exposição Internacional de Paris. Com um rótulo vintage, inspirado no original guardado no Arquivo Histórico da Sogrape, este Azeite Virgem Extra nasce de oliveiras centenárias do Douro, presentes nas diferentes propriedades da Sogrape na região e com certificação de Produção Biológica.

O lote deste azeite Frutado Maduro surge da combinação cuidada de diferentes variedades de azeitona regionais: Verdeal, Madural, Galega, Negrinha do Freixo e Cobrançosa, que lhe conferem equilíbrio e harmonia entre o doce, picante e amargo, apresentando notas de frutos secos, banana, rosmaninho e maçã.

Este lançamento é a merecida homenagem a um produto nobre, que remonta ao tempo de Dona Antónia Adelaide Ferreira, e representa também a biodiversidade da região, que junta vinhas e oliveiras nos mesmos terrenos. Tudo isto se concretiza num azeite único, que reúne o melhor que a natureza oferece em cada uma das quintas da Sogrape no Douro, sempre com os mais elevados padrões de qualidade da Casa Ferreirinha.

O Azeite Virgem Extra Casa Ferreirinha vem complementar o portefólio da marca com um produto que, tal como o vinho, faz parte da dieta mediterrânica. Estará disponível para venda em garrafas de 500 ml nos melhores restaurantes, bem como lojas e garrafeiras gourmet e da especialidade».

Azeite Virgem Extra Casa Ferreirinha

Azeite Virgem Extra Casa Ferreirinha

Azeite Virgem Extra Casa Ferreirinha

 

Ver também:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:50

Bairrada celebra “130 Anos de Espumante, 30 Anos de Denominação de Origem” com prova especial

por Raul Lufinha, em 08.10.21

Bairrada

18 de outubro de 2021

«É na região vitivinícola da Bairrada que têm origem mais de 50% dos espumantes produzidos em Portugal e esta predominância não acontece ao acaso. Foi na Bairrada que, em 1890 e pelas mãos do Eng.º Tavares da Silva, se deram os primeiros passos na criação deste vinho efervescente em Portugal. Volvidos 101 anos de conhecimento, a 8 de fevereiro de 1991, foi criada a Denominação de Origem para os espumantes Bairrada, passando estes a ter que cumprir os requisitos definidos pela Comissão Vitivinícola da Bairrada (CVB) para poderem envergar o selo de certificação. Para celebrar 130 anos de espumante e 30 de Denominação de Origem, a CVB tem vindo a desenvolver um conjunto de ações, que se iniciou com um bar de espumantes e ostras na edição de Verão da Essência do Vinho Porto; segue com a presença na feira Vinhos & Sabores 2021, na FIL em Lisboa, onde vai ter lugar uma prova especial; e outras iniciativas a anunciar em breve.

De 16 a 18 de outubro, a CVB junta um grupo de produtores e vai até à capital para dar a conhecer os seus vinhos e espumantes, na feira Vinhos & Sabores 2021, promovida pela revista Grandes Escolhas e pelo jornal Público. O momento alto dessa jornada acontece na segunda-feira, dia 18 de outubro, às 11h30, com a realização de uma prova especial dedicada, em exclusivo, aos espumantes da região. Sob o mote ‘Bairrada: 130 Anos de Espumante, 30 Anos de Denominação de Origem’, vai ser orientada por Pedro Soares, presidente da CVB, e Luís Ramos Lopes, diretor da Grandes Escolhas. Num espaço a condizer, em forma de meia “bolha”, são catorze os espumantes que vão desfilar neste palco da FIL, onde, no final, haverá direito a brinde e a uma sandes de leitão à Bairrada. A prova tem um custo de 50,00 € e a inscrição é feita junto da CVB, através do contacto telefónico 937 790 005. No Instagram da Bairrada – @bairrada.oficial – vai decorrer um passatempo com oferta de 3 entradas, uma por cada década de festejo.

A lista dos 14 espumantes (consultar abaixo) está dividida em quatro categorias: Baga Bairrada, Brancos, Rosés e Referências Históricas. Tirando uma mão cheia de raridades, onde se inclui um espumante com precisamente 30 anos (de 1991, ano da DO Bairrada para espumantes), os outros primam por estar no mercado e pela maioria dos seus produtores estarem presentes com expositor nesta feira. A escolha dos espumantes para esta prova tem por base a diversidade de blends, que à exceção dos de Baga não se repetem e giram, na sua maioria, em torno de um reduzido leque de castas, consideradas as mais aptas a produzir espumantes de muita qualidade na Bairrada: Maria Gomes, Bical, Arinto, Cercial e Chardonnay, nas brancas, e Baga, Touriga Nacional e Pinot Noir, nas tintas.

Lista de Espumantes da Prova Especial “Bairrada: 130 Anos de Espumante, 30 Anos de Denominação de Origem”

Espumantes Baga Bairrada

1. Marquês de Marialva Baga Bairrada branco 2019

2. Regateiro Baga Bairrada branco 2017

3. Montanha Baga Bairrada Grande Cuvée branco 2015

Espumantes Brancos

4. Quinta do Poço do Lobo Arinto Chardonnay branco 2016

5. Ataíde Semedo Cuvée Reserva branco 2016

6. Casa de Saima Reserva branco 2015

7. Kompassus Blanc de Noirs branco 2015

Espumantes Rosés

8. Campolargo Pinot Noir rosé 2016 (em magnum)

9. Luís Pato Informal rosé 2015

10. Colinas Rosé de Pinots Cuvée Brut Reserve rosé 2012

Espumantes Históricos

11. Aliança Grande Reserva branco 2012

12. Elpídio 80 Anos branco (não datado, mas de 2011)

13. Messias Blanc de Blancs branco 2003

14. Quinta das Bágeiras branco 1991»

 

Ver também:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:15

NOMA, o n.º 1 do mundo

por Raul Lufinha, em 07.10.21

NOMA

A consagração do NOMA nos 50 Best 2021

2021 está a ser um ano absolutamente extraordinário para o NOMA, do Chef René Redzepi.

Depois de há três semanas ter sido finalmente distinguido com a terceira estrela Michelin – a classificação máxima do guia – o premiado restaurante dinamarquês foi agora eleito “o melhor do mundo” para os The World's 50 Best Restaurants.

Claro que estas classificações são naturalmente sempre muito discutíveis.

Mas é também indesmentível que, com todos os seus defeitos e inconvenientes, o guia Michelin e a lista dos 50 Best são as duas mais relevantes e influentes classificações de restaurantes que existem a nível mundial.

Cozinha nórdica e Copenhaga, capital do mundo

Ainda nos 50 Best deste ano, destaque também para a enorme vitalidade que a cozinha nórdica continua a demonstrar e, bem assim, para a fervilhante cidade de Copenhaga, que se assume como uma autêntica capital do mundo gastronómico, ao alcançar o notável feito de conseguir ter os dois melhores restaurantes do mundo, ou seja, os dois primeiros classificados da lista de 2021, NOMA e GERANIUM – curiosamente, dois dos restaurantes que tínhamos visitado na nossa última viagem antes do início da pandemia, no final de fevereiro de 2020 (NOMA, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui; GERANIUM, aqui, aqui, aqui e aqui).

O melhor português

Por último, uma referência de louvor àquele que, para o júri dos 50 Best, continua a ser o melhor restaurante português: o BELCANTO, de José Avillez. Mantém a posição 42. E é, aliás, novamente em 2021 o único restaurante português a conseguir a proeza de estar no Top 100 dos melhores do mundo.

50 Best 2021

A lista dos 50 melhores do mundo de 2021

 

Ver também:

 

Fotografias: The World's 50 Best Restaurants

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:18

À descoberta dos vinhos do Algarve, a visita à Quinta dos Santos

por Raul Lufinha, em 01.10.21

Quinta dos Santos

As vinhas da Quinta dos Santos, em Lagoa

Na primavera, em abril, o Mesa do Chef acompanhou Nuno Diogo, sommelier proprietário do BON BON, e as equipas de sala e cozinha do estrelado restaurante, na visita de trabalho à Quinta dos Santos, produtor familiar de vinho e cerveja da zona de Lagoa, no Algarve, entre Ferragudo e o Carvoeiro.

Uma visita que teve, pois, dois focos completamente diferentes, embora complementares:

– a cerveja, cuja visita à unidade de produção e a prova de todo o portfólio da “craft beer” Dos Santos já saiu aqui no Blog e no Instagram;

– e o vinho, que ainda só tinha saído no Instagram do Mesa do Chef e que, agora, ganha uma redobrada importância, dado ter sido a Quinta dos Santos o produtor escolhido para as harmonizações do jantar do próximo sábado, 2 de outubro de 2021, que junta os chefs Wilson Costa e Vítor Adão (PLANO) no restaurante THE OLIVE TREE do resort Vale d’Oliveiras.

Então também conduzida por António Augusto, a visita à parte vínica da Quinta dos Santos permitiu conhecer as vinhas e a adega e, bem assim, provar os vinhos, que se dividem em duas marcas (o Escolhido e o premium Tesouro).

Uma prova que teve o privilégio de incluir garrafas ainda não lançadas no mercado e sem rótulo.

E onde se destacou a casta Negra Mole – em espumante, em rosé e em tinto.

Na memória ficou também um seco e gastronómico Arinto & Sercial (Esgana Cão).

Quinta dos Santos

Quinta dos Santos

Quinta dos Santos

Quinta dos Santos

Quinta dos Santos

Visita à adega

Quinta dos Santos

7 vinhos em prova

Quinta dos Santos

Espumante bruto natural, Negra Mole, 2018 (ainda sem rótulo)

Quinta dos Santos

Escolhido Negra Mole tinto 2018

Quinta dos Santos

Escolhido Negra Mole (90%) & Touriga Nacional (10%) rosé 2019

Quinta dos Santos

Escolhido Arinto branco 2019

Quinta dos Santos

Escolhido Arinto (90%) & Sercial (10%) branco 2019

Quinta dos Santos

Tesouro Arinto & Verdelho branco 2019 (ainda sem rótulo)

Quinta dos Santos

Tesouro Malvasia Fina & Sercial branco 2019 (ainda sem rótulo)

Quinta dos Santos

Quinta dos Santos

Quinta dos Santos, em Lagoa

 

Ver também:

 

Quinta dos Santos
Rua do Pestana Golf, n.º 1, Sesmarias, Carvoeiro, Lagoa, Algarve, Portugal

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:10

“Chef Convida”. Wilson Costa traz Vítor Adão ao Algarve

por Raul Lufinha, em 29.09.21

241730661_6090252854349256_6668192751279461944_n.j

Jantar único no THE OLIVE TREE, 2 de outubro de 2021

Vítor Adão, o transmontano chef do PLANO, em Lisboa, e a Quinta dos Santos, produtora algarvia de vinho e cerveja artesanal, são os convidados especiais de Wilson Costa para a segunda edição do evento “Chef Convida”, um jantar único que irá decorrer já no próximo sábado, dia 2 de outubro, no restaurante THE OLIVE TREE do Vale d’Oliveiras, resort de 5 estrelas no Carvoeiro, Algarve.

Recorde-se que a edição inaugural deste evento – em que o chef anfitrião convida um chef de outra região do país para prepararem em conjunto um jantar gastronómico – decorreu no passado mês de julho, tendo tido por convidado um chef marcante na formação de Wilson Costa como cozinheiro: Yannick Génard.

De notar ainda que o chef Wilson Costa é um bom amigo, que conhecemos desde os tempos em que integrava a equipa de Louis Anjos no então Suites Alba Resort.

 

Ver também:

 

THE OLIVE TREE
Vale d’Oliveiras - Quinta, Resort & Spa, Carvoeiro, Algarve
Chef Wilson Costa

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:48

Joe Best, 1966-2021

por Raul Lufinha, em 18.09.21

Joe Best

Chef Joe Best

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:59

Arrebita Idanha Bio regressa em outubro

por Raul Lufinha, em 17.09.21

Arrebita.jpg

 

«Nos dias 2 e 3 de outubro, as aldeias históricas de Penha Garcia e de Idanha-a-Velha acolhem mais uma edição do Arrebita Idanha Bio! Uma coorganização da Amuse Bouche e da C. M. Idanha-a-Nova, o festival volta a centrar-se na sustentabilidade e na biodiversidade, convidando alguns dos melhores chefs nacionais a trabalharem os melhores produtos da região.

Num fim-de-semana que convida a umas miniférias, aproveitando a proximidade do feriado de 5 de outubro, serão mais de 30 os chefs que irão cozinhar num amplo recinto natural ao ar livre. O Arrebita Idanha Bio pretende afirmar-se como um evento de culto no país depois de, em 2020, ter sido distinguido com o Grande Prémio da Academia Portuguesa de Gastronomia.

À semelhança do que tem acontecido em todos os eventos Arrebita Portugal, estarão presentes alguns dos mais consagrados protagonistas da gastronomia nacional, mas também talentos emergentes e locais. O cartaz ainda não está totalmente fechado, mas conta já com nomes como Ricardo Costa (THE YEATMAN, V. N. Gaia, 2** Michelin), Vincent Farges (EPUR, Lisboa, 1* Michelin), Pedro Lemos (PEDRO LEMOS, Porto, 1* Michelin), Pedro Almeida (MIDORI, Sintra, 1* Michelin), Angélica Salvador (IN DIFERENTE, Porto) e Tiago Bonito (LARGO DO PAÇO, Amarante, 1* Michelin).

Diogo Amorim (GLEBA, Lisboa), Pedro Braga (MITO, Porto), Marcella Ghirelli (COMIDA INDEPENDENTE, Lisboa), Francesco Ogliari e Marisa Tiago (TUA MADRE, Évora), Natalie Castro e Joana Costa (ISCO, Lisboa), Maria de Sousa (CASA DA VELHA FONTE NA CASA DA AMOREIRA, Idanha-a-Velha), Luís Gaspar (SALA DE CORTE, Lisboa), Hugo Brito (BOI-CAVALO, Lisboa) e Joaquim Saragga Leal (TABERNA SAL GROSSO, Lisboa) são outros dos nomes que também marcarão presença.

No dia 2 de outubro, sábado, é nas ruas e ruínas de Idanha-a-Velha, uma das 12 Aldeias Históricas de Portugal, que decorre toda a ação, incluindo um inédito Mercado de Produtores. No dia seguinte é a vez de Penha Garcia deslumbrar os visitantes com os seus milenares moinhos de rodízio, onde os chefs irão cozinhar pratos inspirados nas tradições da região.

Com entrada gratuita e pratos com preço fixo de 6 €, o festival decorre entre as 12h e as 21h no sábado (Idanha-a-Velha) e entre as 12h e as 18h no domingo (Penha Garcia).

Mais informações em www.arrebitaportugal.pt ».

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:15


Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D



subscrever feeds