Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Japanese Rice Lager, uma Super Bock perfeita para sushi tradicional

por Raul Lufinha, em 12.11.15

Beatriz Carvalho, Mestre Cervejeira Super Bock

Beatriz Carvalho, Mestre Cervejeira Super Bock

O sushi não é todo igual.

Mas para o sushi tradicional, para aquele sushi que sabe efetivamente ao arroz e ao peixe…

… e que não se deixa influenciar por frituras ou por frutas, mais doces ou mais cítricas…

… uma bebida perfeita é a Japanese Rice Lager da Super Bock!

Edição especial experimental e muito reduzida, limitada a apenas 15.000 garrafas de 75 cl…

… criada pela mestre cervejeira Beatriz Carvalho…

… a Super Bock Selecção 1927 Japanese Rice Lager é uma cerveja delicada, polida e suave, quase nada amarga…

… tendo como principal marca não a sobreposição de sabores mas antes o prolongar da experiência de se comer sushi!

Super Bock Selecção 1927 Japanese Rice Lager

Super Bock Selecção 1927 Japanese Rice Lager

Isto porque o principal cereal utilizado é o arroz.

E também porque Beatriz Carvalho usou a alga kombu de Hokkaido, que interagiu muito bem com a levedura da Super Bock, tendo proporcionado uma fermentação muito rápida e exuberante…

… bem como utilizou a flor de sal de Tavira.

Ou seja, a cerveja tem os principais sabores e elementos do sushi tradicional: arroz, alga e sal.

Daí que resulte tão bem a ligação entre ambos!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:17

Invisível, um branco feito com uvas tintas

por Raul Lufinha, em 08.11.15

Nelson Rolo

Nelson Rolo, o enólogo da Ervideira

Estimulante vinho branco alentejano feito na Ervideira pelo enólogo Nelson Rolo a partir de uvas tintas da casta Aragonez…

… o Invisível conjuga a frescura dos brancos…

… com o corpo e a densidade dos tintos!

Invisível

Invisível 2014

Devendo ser servido como os brancos…

… entre os 6 e os 8 ⁰C.

Invisível

Um branco obtido a partir de uvas tintas

Tem um aroma floral...

... sendo fresco na boca, com boa acidez.

E tendo um final levemente adocicado, que o liga muito bem aos sabores fumados…

… e também aos salgados – em especial sushi e marisco…!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:25

Que beber com sushi? #3 – Quinta de Camarate branco doce, segundo Paulo Morais

por Raul Lufinha, em 11.07.12

 

Casal de cozinheiros donos do UMAI, Anna Lins conta que a grande paixão de Paulo Morais para acompanhar sushi é o Quinta de Camarate branco doce, um vinho de quinta da Península de Setúbal produzido e engarrafado pela José Maria da Fonseca a partir das castas Alvarinho e Loureiro:

“Quando andava a tentar acertar com um vinho que fosse ideal para acompanhar sushi, [Paulo Morais] provou o Quinta de Camarate branco doce e não quis mais nada, tanto para sushi como para quase tudo o que come!”

Aparentemente, pode causar estranheza um vinho mais doce do que seco para acompanhar sushi.

 

Contudo, o Quinta de Camarate branco doce 2011 não é um vinho muito doce – o que o torna aliás bastante versátil, porquanto, para além de acompanhar sushi, pode servir de aperitivo ou acompanhar sobremesas, nomeadamente doces de ovos.

 

Por outro lado, convém ter em conta que o sabor doce não é um sabor estranho ao sushi, uma vez que o arroz é preparado com vinagre açucarado.

 

E importa também não esquecer que o sushi deverá ser acompanhado por gengibre e wasabi, com os quais um vinho de elevada acidez irá colidir.

 

Daí que o ideal para o sushi sejam vinhos relativamente leves e de baixo teor alcoólico, com alguma acidez e açúcar residual. De que este Quinta de Camarate branco seco 2011, do enólogo Domingos Soares Franco, é um belo exemplo.

 

UMAI | Rua da Cruz dos Poiais, 89, Lisboa, Portugal | Chef Paulo Morais

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:06

Que beber com sushi? #2 – Pistas para encontrar um vinho

por Raul Lufinha, em 19.03.12

Fotografia: MOMO 

 

Não se aplicando apenas ao sushi mas a toda a cozinha oriental, a carta de vinhos do novo restaurante pan-asiático MOMO – resultante de uma parceria entre o Grupo Lágrimas, o restaurante ESTORIL MANDARIM e o chef Paulo Morais – tem uma interessante introdução sobre a harmonização da cozinha asiática com o vinho:

"Encontrar um vinho que complete uma refeição não é uma tarefa fácil, mas quando esse casamento é alcançado a refeição torna-se surpreendente e inesquecível.

 

A Ásia, ao contrário da Europa, não possui tradição vinícola. A Europa tem o privilégio de possuir centenas de regiões vitivinícolas que produzem vinhos que se combinam, muitas vezes de forma perfeita, com a gastronomia local. Tal não acontece no Oriente, o que faz da descoberta do equilíbrio entre a cozinha asiática e o vinho um processo ainda mais complexo.

 

Os vinhos que melhor se enquadram com a cozinha asiática são aqueles com um grau alcoólico moderado, taninos praticamente inexistentes ou muito suaves, presença de acidez e por vezes com algum açucar residual.

 

O grande desafio é encontrar vinhos que consigam complementar e enaltecer o equilíbrio entre doce, salgado, picante." 

 

MOMO | Casino Lisboa, Alameda dos Oceanos, 1.03.01, Parque das Nações, Lisboa, Portugal | Conceito do chef Paulo Morais

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:12

Que beber com sushi? #1

por Raul Lufinha, em 28.02.12


"Para acompanhar sushi deve beber-se chá verde ou pode beber-se vinho?"

 

"A base é o chá verde, porque tem propriedades desinfectantes que matam algumas bactérias. Por regra, bebe-se chá verde mas não vejo mal nenhum no vinho. Para mim, a melhor bebida alcoólica para o sushi é o saké, porque é feito de arroz e todo o sushi é baseado no arroz."

 

MASAYOSHI KAZATO, Sushi Master e Director-Executivo da All Japan Sushi Association, Revista Expresso, 25 Fev. 2012

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:53


Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Últimos comentários

  • Raul Lufinha

    Obrigado, Nuno! :-)

  • Raul Lufinha

    Pois Nini, o René Redzepi não tem nenhum casaco de...

  • Nuno Pombo

    Relato maravilhoso. Já inscrevi essa experiência n...

  • NINI

    O CASACO DE PELES DO MAGNUS " , abriu-me o " OLHO ...

  • Raul Lufinha

    Sim Nini, ir ao FÄVIKEN é uma peregrinação que fic...

  • Raul Lufinha

    Obrigado, Ana! É fascinante como num lugar tão rem...

  • Marta Felino

    Sem dúvida, Nini! Absolutamente memorável e emocio...

  • Marta Felino

    Ana, fico contente por estar a gostar! :)Foi, de f...

  • NINI

    MARAVILHA de CENÁRIO !!!! É DAQUELAS EXPERÊNCIAS ,...

  • Ana Dias

    "Esqueçam" o DiverXO, "esqueçam" o Faviken. Para "...


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D