Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Caranguejo de Casca Mole, a imperdível novidade d’A PADARIA PORTUGUESA

por Raul Lufinha, em 18.05.17

Ana Viçoso e Nuno Carvalho

Ana Viçoso e Nuno Carvalho

Para o Diretor-Geral Nuno Carvalho, uma das missões d’A PADARIA PORTUGUESA é trazer inovação ao universo do mass market, de modo a também proporcionar aos seus clientes experiências diferentes e enriquecedoras.

Ora, uma das formas de o fazer é através da introdução de novos ingredientes, fazendo chegar ao grande público produtos habitualmente reservados a clientelas de nicho.

Como sucede com o Caranguejo de Casca Mole!

Um delicioso crustáceo, que se come na sua totalidade – da cabeça às patas – e que é uma explosão de sabor a mar!

De modo que A PADARIA PORTUGUESA aproveitou a reformulação da sua oferta de almoços para criar uma especialidade imperdível.

Uma excelente sandes… de Caranguejo de Casca Mole!

Que foi desenvolvida pela equipa interna de R&D – a qual, para além de especialistas em padaria e pastelaria, conta também, desde o início do ano, com a colaboração da chef Ana Viçoso (que já não víamos desde o ‘Concurso de Gastronomia Francesa’ de 2015).

Contudo, esta é uma sandes muito especial.

A começar, desde logo, pelo pão.

Que é um brioche.

Mas sem ovos e menos doce do que a versão clássica – curiosamente, aliás, num registo de elegância e suavidade que faz lembrar o brioche utilizado por Magnus Nilsson, do FÄVIKEN, nos hot dogs dos seus KORVKIOSK.

Ora, este brioche é feito centralmente, na fábrica de pão d'A PADARIA PORTUGUESA.

Mas, como a opção d'A PADARIA PORTUGUESA é não ter uma cozinha central e fazer tudo in loco, as sandes são preparadas diariamente em cada uma das lojas.

Ou seja, é já depois em cada uma dessas 55 lojas d’A PADARIA PORTUGUESA que o brioche é passado pela frigideira, onde leva um inebriante banho de manteiga!

Sendo, a seguir, uma das metades barrada com uma maionese de pimentos de Padrón…

… e a outra metade barrada com uma colher de café de sriracha, um molho picante tailandês.

Depois, surge então o Caranguejo de Casca Mole!

Que não é frito!!!

Com efeito, ao contrário do que é mais comum encontrar por aí, n’A PADARIA PORTUGUESA não o fritam!

O Caranguejo de Casca Mole é temperado com sal, pimenta e um fio de azeite.

E depois é só levado brevemente ao forno!

No final, imediatamente a seguir a sair do forno, recebe ainda umas gotas de limão!

E está pronto!

Ou seja, o Caranguejo fica completamente estaladiço!

Mas com um registo muito mais próximo do de uma cozedura, conservando os seus complexos sabores… e todos os seus sucos!

A seguir, juntam-lhe ainda cebola roxa laminada e também um aro de cebola roxa em picle com uma fermentação curta, para não ofuscar o sabor a mar do Caranguejo.

E o toque final é dado por uma folha de hortelã!

O resultado é uma sandes absolutamente imperdível!

Leve, fresca, crocante… e com imenso sabor a mar!

Ligando muito bem com uma cerveja bem fresca!

Ou então com vinho branco!

Aliás – não por acaso – o vinho a copo é precisamente outra das boas notícias d’A PADARIA PORTUGUESA!

Mas a melhor novidade de todas é que a inovação não vai ficar por aqui!

A PADARIA PORTUGUESA vai continuar a desafiar o grande público para conceitos que supostamente seriam de um outro universo!

Por exemplo, só para falar de pão – que na verdade é a especialidade de uma padaria – até ao final do ano iremos certamente ouvir A PADARIA PORTUGUESA trazer para o mass market conceitos como… as mós de pedra… massa mãe… e fermentações lentas…!

Conforme diz o teaser, «está na hora»!!!

 

Sandes de Caranguejo de Casca Mole

Sandes de Caranguejo de Casca Mole…

Sandes de Caranguejo de Casca Mole

… a mais surpreendente novidade d’A PADARIA PORTUGUESA

Sandes de Caranguejo de Casca Mole

Está na hora… de o grande público descobrir novos sabores!

 

Ver também:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:39

Joana Astolfi cria uma PADARIA PORTUGUESA de autor

por Raul Lufinha, em 19.05.16

Joana Astolfi e os pássaros que entram na gaiola para comer pão

Joana Astolfi e os pássaros que entram na gaiola para comer pão

No Príncipe Real, em Lisboa, e à 40.ª loja…

… A PADARIA PORTUGUESA quis, por uma vez, sair do conforto da standardização!

Tendo desafiado a arquiteta e artista plástica Joana Astolfi, que nos últimos tempos nos tem deixado a sonhar com as suas montras da Hermès…

… para fazer uma loja de autor!

O resultado foi um espaço único e irrepetível que, para além de ser uma celebração do pão…

… é também um exemplo paradigmático da sua obra!

Uma arte viva e para ser vivida…

… repleta daqueles pequenos objetos que partilham a nossa existência…

… e com inúmeros recantos acolhedores, para irmos descobrindo e desfrutando – incluindo uma “Casinha do Pão”!

Mas o que é mesmo um sonho é viver...

... numa casa desenhada por Joana Astolfi!

Muitos parabéns, Joana!

Os pães d’A PADARIA PORTUGUESA num nicho de Joana Astolfi

Os pães d’A PADARIA PORTUGUESA numa instalação de Joana Astolfi

A bicicleta d’A PADARIA PORTUGUESA… pendurada na parede

A emblemática bicicleta d’A PADARIA PORTUGUESA… mas pendurada na parede

No pátio, SILK (aka Fernando Nobre) dos Cais Sodré Funk Connection

Silk (aka Fernando Nobre) dos Cais Sodré Funk Connection, no pátio d'A PADARIA PORTUGUESA do Príncipe Real

Nando & Joana

Nando & Joana

A felicidade de Nando & Joana

Silk, Joana Astolfi, Nuno Carvalho (CEO d’A PADARIA PORTUGUESA)

Silk, Joana Astolfi e Nuno Carvalho, CEO d’A PADARIA PORTUGUESA

 

A PADARIA PORTUGUESA – Príncipe Real | Rua D. Pedro V, 102, Lisboa, Portugal

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:28


Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Últimos comentários

  • NINI

    Parabéns PADARIA PORTUGUESA !!!!!DESAFIO e CONVIDO...

  • NINI

    O Palácio de Seteais , é um Clássico desde o SEC. ...

  • NINI

    FANTÁSTICO !!!! Fico muito contente.....!!!! Ser "...

  • Marta Felino

    Brutal! Ambos na mesma cidade! NY tem agora o melh...

  • NINI

    Adoro LAMPREIA !!!!! Recordações dos tempos em Coi...

  • Raul Lufinha

    Obrigado, Nuno! :-)

  • Raul Lufinha

    Pois Nini, o René Redzepi não tem nenhum casaco de...

  • Nuno Pombo

    Relato maravilhoso. Já inscrevi essa experiência n...

  • NINI

    O CASACO DE PELES DO MAGNUS " , abriu-me o " OLHO ...

  • Raul Lufinha

    Sim Nini, ir ao FÄVIKEN é uma peregrinação que fic...



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D