Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Livros #42: Michelin coloca no mapa o restaurante… BON BON

por Raul Lufinha, em 25.11.15

España & Portugal

Michelin espanhola... agrava fosso entre Portugal e Espanha

Os inspetores Michelin que terão andado pelo país descobriram que Portugal apenas merecia uma nova estrela para 2016 – o BON BON, no Carvoeiro.

Já em Espanha…

… que, numa lógica iberista de multinacional cega, continua inexplicavelmente não só a fazer parte integrante do guia português (e vice-versa) como também a fazer (!) o próprio guia de Portugal…

… ‘nuestros hermanos’ têm 2 novos duas estrelas...

... e 14 novos restaurantes com uma estrela.

Ou seja, agravou-se, mais uma vez, o fosso entre os dois países!

Mas, enfim, há mais de 100 anos que estes senhores sabem como fazer publicidade aos pneus à custa dos restaurantes… continuando a ser o guia mais respeitado pela indústria da restauração!

Há é cada vez mais clientes que não vão (só) em guias…

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:59

Livros #38: Três novidades portuguesas no Guia Michelin 2015

por Raul Lufinha, em 22.11.14

La Guía Michelin 2015 España & Portugal .jpg

 

José Avillez, Leonel Pereira e Pedro Lemos estão de parabéns!

Os seus restaurantes são as 3 únicas novidades portuguesas de um guia Michelin 2015 que, sendo o melhor resultado de sempre para Portugal...

... atribui a Espanha mais 20 estrelas, aumentando inexplicavelmente o já de si injustificado enorme fosso entre os dois países.

– BELCANTO, duas estrelas:

Um feito histórico para José Avillez, o primeiro duas estrelas de Lisboa e o justo reconhecimento do melhor restaurante da cidade!

Duas estrelas que (como se comprova agora, uma vez que o restaurante pouco tem mudado) eram merecidas logo no ano da abertura – este devia ter sido o momento da terceira! As experiências que o BELCANTO proporciona estão ao nível do que melhor se faz internacionalmente!

Nota ainda para o facto de o guia inacreditavelmente não ter conseguido encontrar na cidade de Lisboa um único projecto que merecesse receber este ano pela primeira vez uma estrela – mas em Madrid viu 5 novas estrelas, em Espanha viu 19 novas primeiras estrelas, em toda a Itália viu 27…

– SÃO GABRIEL, uma estrela:

No ano passado, com a chegada de Leonel Pereira, o SÃO GABRIEL merecia ter ganho duas estrelas!

Este ano, ter uma é curto, sabe a pouco!

E Leonel Pereira é um chef três estrelas – o guia pode dar-lhe a classificação que quiser; quem come no SÃO GABRIEL sabe que tem uma experiência três estrelas!

– PEDRO LEMOS, uma estrela:

Mais uma estrela que demorou tempo a chegar. Há uns três / quatro anos (quando ia com frequência ao Norte, o que ultimamente não tem acontecido) era o meu restaurante preferido na cidade do Porto – recordo em especial umas memoráveis bochechas de bísaro com filhoses – e já nessa altura se sentia que no dia em que o guia corrigisse a injustiça de ignorar o Porto, seria o principal candidato.

Esta estrela atribuída agora ao restaurante PEDRO LEMOS faz ainda pensar como a história podia ser hoje bem diferente se na devida altura o guia tivesse distinguido Pedro Lemos e, pelo menos, outros 3 chefs que na capital estavam então igualmente em grande forma, porventura até superior – Leonel Pereira (PANORAMA), Henrique Mouro (ASSINATURA) e Alexandre Silva (BOCCA).

Aqui se vê também a elevada relevância do guia – é um árbitro com interferência no resultado, para o bem e para o mal.

 

N.B. – Estes comentários têm por base os guias Michelin, não o guia “España & Portugal”.

Para muita gente, o guia “España & Portugal” é “o” guia, é o modelo de guia. Mas não é assim!

Analisando a realidade espanhola e os restantes guias que a Michelin publica em diversas geografias pelo mundo fora, verifica-se que Espanha (tal como a Dinamarca) tem inúmeras razões de queixa dos franceses.

Ora Portugal é prejudicado duas vezes: estamos incluídos no guia espanhol e somos prejudicados pela forma como os franceses tratam a cozinha espanhola que lhes fez frente; e depois, pior ainda, o nosso guia é feito em Espanha e por espanhóis.

O que não podemos é cair no erro de pensar que a forretice do guia “España & Portugal” é o modelo Michelin – não é!

Por exemplo, em Itália há 328 restaurantes estrelados: 8 de três estrelas, 40 de duas estrelas, 280 de uma estrela!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:06

Livros #17: o guia de que se fala

por Raul Lufinha, em 23.11.12

 

Editado pela marca francesa de pneus que lhe dá o nome, é este o guia ontem apresentado em Madrid.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:41

É hoje

por Raul Lufinha, em 22.11.12

 

É hoje que o Guia Michelin divulga as estrelas que atribui aos restaurantes portugueses para 2013.

 

O anúncio será efectuado na gala de apresentação do guia “España & Portugal 2013”, que irá decorrer em Madrid, no Hotel Ritz. E cujo jantar será preparado pelos chefs daqueles que, para o guia francês, são os seis melhores restaurantes da capital espanhola: Diego Guerrero (EL CLUB ALLARD), David Muñoz (DIVERXO), Ramón Freixa (RAMÓN FREIXA MADRID), Oscar Velasco (SANTCELONI), Sergi Arola (SERGI AROLA GASTRO) e Paco Roncero (LA TERRAZA DEL CASINO) – todos eles distinguidos aliás com apenas duas estrelas em 2012, pois, ao contrário do que sucede no País Basco e na Catalunha, em Madrid nenhum restaurante tem a classificação máxima do guia (três estrelas), situação que muitos esperam seja hoje alterada.

 

Com efeito, embora todos os anos a Michelin dê e retire estrelas, desta vez há uma renovada expectativa de que o guia de referência da indústria gastronómica seja mais justo do que no passado para com os restaurantes espanhóis e os portugueses, não apenas devido aos rumores que circulam nos bastidores mas também pelos critérios mais largos seguidos nas semanas anteriores em guias como os da Alemanha, Itália ou Bélgica, assim como pelo facto de este ano o novo responsável máximo dos guias Michelin a nível mundial, Michael Ellis, comparecer na cerimónia.

 

Norte-americano casado com uma francesa, talvez não seja por acaso que Michael Ellis é o primeiro não-francês a dirigir os guias Michelin.

 

E curiosamente, para além de dominar o Inglês e o Francês, é também fluente em Italiano, Espanhol e… Português! Que seja um bom presságio…

 

 

P.S.: Sendo o guia de “Espanha & Portugal”, para quando a realização da gala em Portugal?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:05


Partilha de experiências e emoções gastronómicas

Raul Lufinha

Facebook


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Últimos comentários

  • Raul Lufinha

    Obrigado, Nuno! :-)

  • Raul Lufinha

    Pois Nini, o René Redzepi não tem nenhum casaco de...

  • Nuno Pombo

    Relato maravilhoso. Já inscrevi essa experiência n...

  • NINI

    O CASACO DE PELES DO MAGNUS " , abriu-me o " OLHO ...

  • Raul Lufinha

    Sim Nini, ir ao FÄVIKEN é uma peregrinação que fic...

  • Raul Lufinha

    Obrigado, Ana! É fascinante como num lugar tão rem...

  • Marta Felino

    Sem dúvida, Nini! Absolutamente memorável e emocio...

  • Marta Felino

    Ana, fico contente por estar a gostar! :)Foi, de f...

  • NINI

    MARAVILHA de CENÁRIO !!!! É DAQUELAS EXPERÊNCIAS ,...

  • Ana Dias

    "Esqueçam" o DiverXO, "esqueçam" o Faviken. Para "...


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D